visite a galeria de fotos littlemixpics.com

últimas imagens enviadas
29.05.20

Jade Thirlwall do Little Mix manda a real sobre vida na quarentena: “Estou igual quebra-cabeças, querida”

A estrela de Break Up Song está misturando seu amor por drags e cozinha com seu novo programa da MTV, Served! With Jade Thirlwall.

Com todo o país em quarentena, as pessoas estão tendo que ser mais criativas do que nunca em relação a se manterem entretidas. Então, nesses tempos desafiadores e turbulentos, nós nunca fomos tão gratos por estar seguindo ela no Instagram. Nas últimas semanas sozinha, ela está nos fazendo gritar com suas recreações de momentos clássicos da TV, suas entrevistas ao vivo e segmentos de cozinha.

Não somos os únicos, pois a cantora lançou seu próprio programa, Served! With Jade Thirlwall, que combina seu amor pela cultura drag com cozinha, trazendo uma drag queen diferente toda semana para a via-chamada na cozinha.

“Eu amo cultura drag, amo cozinhar, amo rir e tomar uns drinks. Então pensei, porque não juntar tudo e vê no que dá?’

Adiante da estreia do programa, conversamos com Jade sobre vida na quarentena, seu amor pela cultura drag, e o aniversário de 10 anos de Little Mix…

Primeiro de tudo, o que achou das últimas semanas de quarentena?

“Bem, a primeira semana, tudo bem. Estava ocupada mesmo [Little Mix lançou seu mais recente single logo após o começo da quarentena] então ficar dentro de casa e não ter que fazer nada parecia ser de boa. Mas agora, definitivamente estou pronta para voltar ao trabalho. Estou enlouquecendo, querida. Está me entendendo? Por isso que fiz esse programa com MTV, estava ficando entediada, para falar a verdade.”

Obviamente a cultura drag é uma grande parte do programa – há quanto tempo esta tem sido uma paixão sua?

Quando paro para pensar, acho que no subconsciente, sempre gostei da cultura drag. Desde pequena, indo para Benidorm com minha família nos feriados e vendo as drag queens lá, sempre fui fascinada por essas bonecas humanas, eu acho. E eu sempre fui muito fã de divas como Diana Ross, – minha maior ídola – eu sempre amei artistas que eram grandiosos e fabulosos, plumas, do tipo Shirley Bassey, lantejoulas, glamour. Então uma vez que descobri Drag Race alguns anos atrás, eu fiquei viciada. Morando em Londres, eu tenho muitos amigo LGBTs que me levavam para bares gays e shows de drag queens, então meu amor por drags cresceu mais e mais, e agora tenho alguns amigos que são drag queens.

O que é que te atrai na cultura drag?

“É que é incrível que essas pessoas conseguem literalmente se transformar nestes personagens que são tão exagerados, lindos e engraçados. Conheço tantas drag queens que são tímidas na vida real, mas se transformam na sua personagem drag e do nada são outra pessoa. E pessoalmente, eu me identifico com isso. Especialmente antes de estar no Little Mix, eu sempre fui tímida, mas quando subo em um palco e crio essa personagem, eu aproveito muito.”

Vamos falar sobre algumas das convidadas do programa, porque algumas dessas queens são realmente descontroladas. Houve momentos durante as filmagens em que você ficou com medo do que elas poderiam dizer?

“Houve alguns momentos que alguém poderia ter dado alguma indireta ou falado algo um pouco selvagem, mas essa é a beleza, é o meu programa! Então posso fazer o que eu quiser com ele! Tem muita diversão e jogos, e nós definitivamente ficamos um pouco “alegres” e tomamos alguns vinhos. É disso que se trata, eu queria que fosse autêntico e sem muito roteiro. Então sou literalmente eu, na minha cozinha, tentando o meu melhor para cozinhar algo enquanto converso com alguém ao mesmo tempo. E vendo o que acontece.”

“Eu ia perguntar se teria muitas cenas cortadas – mas parece que todo o material picante será mantido?

Ah sim! É isso que faz ser engraçado. E acho que ter minha mãe como parte disso também, é literalmente o que estaria acontecendo de qualquer forma.”

Qual é o papel dela no programa?

Minha mãe basicamente vai julgar quem fez o melhor jantar. E ela está amando. Ela está sozinha de quarentena no momento, isolada, então acho que foi bom para ela fazer parte disso, e ela também amou, sendo bem honesta.

Ela foi uma jurada exigente?

“Sim. Especialmente quando se trata de cozinhar, por que… Eu tento o meu melhor, mas não sou o Gordon Ramsey, sabe? Eu tento, mas 9 vezes em 10, os resultados não serão impressionantes. Então minha mãe gosta de pegar no meu pé quando não faço um bom trabalho. Definitivamente não há favoritismo.”

Kim Woodburn está no programa também, como foi trabalhar com ela?

“Honestamente… que ícone. Que ícone! Estamos apenas dando o que todos querem, sabe? Colocando duas maravilhosas para as pessoas verem. Ela é realmente muito adorável. Ela é muito disposta, não a incomoda quando você fala sobre todas as piadas dela e coisas do tipo – ela ama. Você realmente pode ir lá e dizer o que você quiser, o que definitivamente fizemos. Mas o que foi muito adorável foi que, depois que conversamos pelo Skype, ela me mandou mensagem e disse ‘muito obrigada por me pedir para fazer parte do programa’. Ela é definitivamente uma moça adorável. Pela minha experiência, de qualquer forma.”

Obviamente eu não posso perguntar sobre drag e não perguntar sobre Drag Race UK. Como ser jurada se compara ao que você imaginava, porque você obviamente é fã há muito tempo…

“Ah sim – superfã. Então quando eu finalmente fiz parte disso, eu estava apenas tentando o meu melhor para não surtar o dia todo. Estar no set e tudo mais, foi tipo um sonho. Eu não conseguia parar de encarar o Ru, e a parte engraçada é que a primeira vez que conheci o Ru foi alguns anos antes na Drag Con, onde eu literalmente estava disposta a comprar uma boneca de $1000 só para ter a chance de conhecer RuPaul. E então, por sorte, eu esbarrei na Michelle Visage e ela ficou tipo ‘não se preocupe, vou te levar para conhecê-lo.’ Então ir disso para realmente estar no programa, foi um sonho realizado.”

Quando Drag Race UK foi anunciado, os fãs estavam te chamando para ser uma jurada. Honestamente, você ficaria muito chateada se não tivesse sido convidada?

“Para ser sincera, eu estava muito feliz internamente por meus fãs estarem fazendo isso… E eu sempre ficava “vamos lá, vocês conseguem fazer mais” e então finalmente aconteceu. Mas se eu ficaria chateada? Eu acho que ficaria sim, mas quando me ligaram para oficializar tudo, eu quase morri de gritar, honestamente, foi o ponto mais alto da minha carreira, ou um deles de qualquer forma.”

Alguma coisa te surpreendeu enquanto você estava no set e assistia conforme acontecia?

“Sim, primeiro, estava muito frio no estúdio. Eu acho que é pra maquiagem delas não derreterem, mas o prédio estava muito frio então eu coloquei uma garrafa de água quente no meu joelho embaixo da mesa enquanto acontecia o show. E você tem que sempre ficar olhando pra frente porquê as luzes da série são muito fortes, as luzes mais fortes que você poderia ver. Mas ai eu comecei a encarar a Ru e fiquei me falando para sempre olhar pra frente, mas não ajuda muito, e eu estava travada ali. Eu só queria estar com uma aparência boa para o momento.”

Assistindo o show novamente, alguma das Rainhas aparecerem diferente depois de assistir lá no set?

“Foi muito interessante, a minha semana foi a semana que The Vivienne teve uma semana um pouco baixa e estava em penúltimo lugar. E quando você é juíza, você não vê o que acontece antes. Não foi a melhor performance, mas eu ficava sempre pensando “eu espero que ela faça tudo muito bem.” Então foi muito interessante assistir novamente o show e ver a jornada dela ali, e o quão incrível ele foi até aquele momento.”

Como um fã de Little Mix, tem sido incrível ver cada uma de vocês trabalhando em seus projetos solos. Você sente que conforme o tempo foi passando, se tornaram mais confiantes em trabalhar individualmente?

“Sim, definitivamente. Nos primeiros anos foi horrível, e fazer qualquer coisa sozinha seria assustador. Nós nos apoiamos sempre, e eu acho que nós não queríamos sentir que estávamos nos separando ou as pessoas sentirem isso, quando na verdade era algo totalmente distante disso. Nós fomos crescendo e conseguimos ficar mais confiantes sobre nós mesmas, nos tornamos mulheres em grupo, e nós somos diferentes, temos diferentes hobbies, interesses e identidade e então começamos a procurar coisas nossas para fazer individualmente, enquanto estamos juntas. E eu acho que as pessoas conseguem perceber que está tudo bem fazer as coisas sozinhas, é apenas um momento para mostrar o que somos individualmente, nossos amores e paixões, e estamos sempre nos apoiando.”

Vocês estão no caminho do lançamento para o sexto álbum, e isso é raro para uma girlband. Isso provavelmente é algo que vocês devem ter orgulho.

“100%, nós não acreditamos que estamos chegando nos 10 anos, e você está certa, isso não é uma coisa comum para uma girlband. Eu acho que a chave para isso tudo é pensar grande, estando juntas, apoiando umas as outras, e ninguém tentando brilhar mais que a outra. Desde o começo nós falamos que queríamos continuar as mesmas, e no passar dos anos, tivemos momentos de pessoas no time e até fora dele falando que tinha uma ou outra que se destacava mais, que queria aparecer mais, mas nós sempre fomos muito diretas que não queríamos esse tipo de coisa. No momento em que você faz algo assim, a banda começa a se desmoronar, então por isso sempre lutamos por aquilo que acreditamos, e é tudo é sobre nossas opiniões sempre terem o mesmo peso dentro do grupo e tem funcionado para nós.”

Quase 10 anos, você acha que Little mix tem o reconhecimento que merece por estar sempre no topo o tempo todo, e continuam fazendo sucesso?

“Não, para ser sincera, eu não acho. Eu acho que mulheres no geral, é difícil ter o reconhecimento que merece, e então para um grupo de mulheres, ou uma girlband, é muito difícil. Por que eu me sinto, por alguma razão, é um estigma grudado em girlband, ainda mais cantando pop. Nós levamos anos para provar que somos incríveis, e que nós escrevemos nossas musicas e realmente levantamos a bandeira para cada coisa que acreditamos. E isso nos levou muito tempo para chegar nesse ponto. Mesmo quando nós ganhamos o Brit Awards, é muito raro você ouvir uma nomeação para uma categoria em grupo, e eu acho que uma girlband nunca ganhou esse prêmio o que é pra mim é gigantesco. Então temos muita coisa para fazer para começarmos a celebrar as mulheres, e apreciar quem somos. Eu não estou reclamando, temos muito sucesso e somos gratas demais por ter ganhado o prêmio, mas ainda há aquele sentimento de opressão. Até mesmo nos tempos de X-Factor, acho que ninguém esperava a gente ir tão bem, mas as pessoas vão experimentar e perceber o quão boa somos. “

Fonte: Huff Post UK I Tradução e Apatação: BrasilLM

Little Mix Brasil • Hospedado por Flaunt • Layout por Lannie D online &