visite a galeria de fotos brasillm.com/gallery

últimas imagens enviadas
31.05.20

Após George Floyd, um homem negro e trabalhador, ter sido assassinado por um policial nos Estados Unidos, o mundo inteiro levantou sua voz em busca de justiça e em apoio a causa #BlackLivesMatter. Leigh-Anne publicou hoje (31), uma carta aberta sobre. Confira abaixo a tradução:

“Chega, é o suficiente… pare de assassinar nosso povo. Agora é a hora do mundo inteiro acordar e prestar atenção! O racismo é algo RECORRENTE, não apenas nos EUA, mas em todo o mundo. Todos nós merecemos nos sentir seguros, especialmente quando se trata de estar próximo de nossa força policial, que deveria servir e PROTEGER… eles estão aqui caçando negros e matando pessoas inofensivas desarmadas. SEM JUSTIÇA, SEM PAZ. Por favor assine a petição (Justice for George Floyd)”

Fonte: Leigh no Instagram I Tradução e Adaptação: Equipe BrasilLM



31.05.20

Após George Floyd, um homem negro e trabalhador, ter sido assassinado por um policial nos Estados Unidos, o mundo inteiro levantou sua voz em busca de justiça e em apoio a causa #BlackLivesMatter. Perrie publicou hoje (31), uma carta aberta sobre. Confira abaixo a tradução:

Como uma pessoa branca vivendo no UK, é muito fácil olhar para o #BlackLivesMatter e acreditar que isso não te afeta. Acreditar que não é seu lugar de fala e por isso não se envolver. Se preocupar que as pessoas pensem que você está comentando sobre isso apenas por “entrar na onda”
Então é fácil rolar pela tag e seguir em frente.
O que não é tão fácil assim é passar por um homem negro que é inocente sendo preso no chão, lutando e implorando pelo sua último respiro.
Assistindo vídeo após vídeo dos oficiais da polícia usando extrema força e brutalidade, tratando negros como animais.

Esse é um ataque contra a humanidade.

Como pode qualquer ser humano, indiferente de sua raça, gênero ou religião não ser profundamente afetado por isso?

Eu fui profundamente afetada por isso.

O trabalho principal de um oficial de polícia é servir e proteger a comunidade. Imagina o medo de viver em um mundo onde as pessoas que deveriam ter proteger são as mesmas que estão te matando! Essa é a realidade para muitos.

Eu reconheço meu privilégio branco, no entanto, ao invés de permitir que isso me cale, eu usarei isso para me manifestar sobre o que é certo e sobre o que é errado.

Não existe lugar nesse mundo para o racismo.

Por que deixar essa luta para que nossa comunidade negra lute sozinha? Eles não podem fazer isso sozinhos. As coisas apenas mudarão se ficarmos lado a lado com eles. Estou com vocês! Vocês são importantes para mim!

Racismo extremo, racismo casual… Matando com armas ou matando com palavras! Isso é inaceitável! Racismo institucional não é algo aceitável.

Vocês não nasceram racistas, por favor não morram racistas!

“Ninguem nasce odiando outra pessoa por causa da cor da sua pele, ou pelo seu histórico ou pela sua religião. Ele devem ter aprendido a odiar, e se eles podem aprender a odiar, elas podem ser ensinados a amar, o amor é mais natural ao coração humano do que o contrário” – Nelson Mandela

Fonte: Perrie no Instagram I Tradução e Adaptação: Equipe BrasilLM



29.05.20

E chegamos a tão esperada estreia do primeiro programa solo da Jade: SERVED! Que traz muita comida, figurinos, drags, risadas e Norma, mãe da Jade, como jurada.

Projetado pela MTV e tendo Jade como a face do programa, Served estreou ontem (28), nas plataformas digitais. Os convidados se comunicam de forma online e produzem os pratos diretamente de suas casas. O primeiro episódio de 14 minutos contou com a participação da drag queen Alyssa Edwards e uma convidada especial para um bate-papo.

Assista agora o primeiro episódio legendado:

Screencaps episódio 01:


Screencaps chamada do episódio 01:



29.05.20

Jade Thirlwall do Little Mix manda a real sobre vida na quarentena: “Estou igual quebra-cabeças, querida”

A estrela de Break Up Song está misturando seu amor por drags e cozinha com seu novo programa da MTV, Served! With Jade Thirlwall.

Com todo o país em quarentena, as pessoas estão tendo que ser mais criativas do que nunca em relação a se manterem entretidas. Então, nesses tempos desafiadores e turbulentos, nós nunca fomos tão gratos por estar seguindo ela no Instagram. Nas últimas semanas sozinha, ela está nos fazendo gritar com suas recreações de momentos clássicos da TV, suas entrevistas ao vivo e segmentos de cozinha.

Não somos os únicos, pois a cantora lançou seu próprio programa, Served! With Jade Thirlwall, que combina seu amor pela cultura drag com cozinha, trazendo uma drag queen diferente toda semana para a via-chamada na cozinha.

“Eu amo cultura drag, amo cozinhar, amo rir e tomar uns drinks. Então pensei, porque não juntar tudo e vê no que dá?’

Adiante da estreia do programa, conversamos com Jade sobre vida na quarentena, seu amor pela cultura drag, e o aniversário de 10 anos de Little Mix…

Primeiro de tudo, o que achou das últimas semanas de quarentena?

“Bem, a primeira semana, tudo bem. Estava ocupada mesmo [Little Mix lançou seu mais recente single logo após o começo da quarentena] então ficar dentro de casa e não ter que fazer nada parecia ser de boa. Mas agora, definitivamente estou pronta para voltar ao trabalho. Estou enlouquecendo, querida. Está me entendendo? Por isso que fiz esse programa com MTV, estava ficando entediada, para falar a verdade.”

Obviamente a cultura drag é uma grande parte do programa – há quanto tempo esta tem sido uma paixão sua?

Quando paro para pensar, acho que no subconsciente, sempre gostei da cultura drag. Desde pequena, indo para Benidorm com minha família nos feriados e vendo as drag queens lá, sempre fui fascinada por essas bonecas humanas, eu acho. E eu sempre fui muito fã de divas como Diana Ross, – minha maior ídola – eu sempre amei artistas que eram grandiosos e fabulosos, plumas, do tipo Shirley Bassey, lantejoulas, glamour. Então uma vez que descobri Drag Race alguns anos atrás, eu fiquei viciada. Morando em Londres, eu tenho muitos amigo LGBTs que me levavam para bares gays e shows de drag queens, então meu amor por drags cresceu mais e mais, e agora tenho alguns amigos que são drag queens.

O que é que te atrai na cultura drag?

“É que é incrível que essas pessoas conseguem literalmente se transformar nestes personagens que são tão exagerados, lindos e engraçados. Conheço tantas drag queens que são tímidas na vida real, mas se transformam na sua personagem drag e do nada são outra pessoa. E pessoalmente, eu me identifico com isso. Especialmente antes de estar no Little Mix, eu sempre fui tímida, mas quando subo em um palco e crio essa personagem, eu aproveito muito.”

Vamos falar sobre algumas das convidadas do programa, porque algumas dessas queens são realmente descontroladas. Houve momentos durante as filmagens em que você ficou com medo do que elas poderiam dizer?

“Houve alguns momentos que alguém poderia ter dado alguma indireta ou falado algo um pouco selvagem, mas essa é a beleza, é o meu programa! Então posso fazer o que eu quiser com ele! Tem muita diversão e jogos, e nós definitivamente ficamos um pouco “alegres” e tomamos alguns vinhos. É disso que se trata, eu queria que fosse autêntico e sem muito roteiro. Então sou literalmente eu, na minha cozinha, tentando o meu melhor para cozinhar algo enquanto converso com alguém ao mesmo tempo. E vendo o que acontece.”

“Eu ia perguntar se teria muitas cenas cortadas – mas parece que todo o material picante será mantido?

Ah sim! É isso que faz ser engraçado. E acho que ter minha mãe como parte disso também, é literalmente o que estaria acontecendo de qualquer forma.”

Qual é o papel dela no programa?

Minha mãe basicamente vai julgar quem fez o melhor jantar. E ela está amando. Ela está sozinha de quarentena no momento, isolada, então acho que foi bom para ela fazer parte disso, e ela também amou, sendo bem honesta.

Ela foi uma jurada exigente?

“Sim. Especialmente quando se trata de cozinhar, por que… Eu tento o meu melhor, mas não sou o Gordon Ramsey, sabe? Eu tento, mas 9 vezes em 10, os resultados não serão impressionantes. Então minha mãe gosta de pegar no meu pé quando não faço um bom trabalho. Definitivamente não há favoritismo.”

Kim Woodburn está no programa também, como foi trabalhar com ela?

“Honestamente… que ícone. Que ícone! Estamos apenas dando o que todos querem, sabe? Colocando duas maravilhosas para as pessoas verem. Ela é realmente muito adorável. Ela é muito disposta, não a incomoda quando você fala sobre todas as piadas dela e coisas do tipo – ela ama. Você realmente pode ir lá e dizer o que você quiser, o que definitivamente fizemos. Mas o que foi muito adorável foi que, depois que conversamos pelo Skype, ela me mandou mensagem e disse ‘muito obrigada por me pedir para fazer parte do programa’. Ela é definitivamente uma moça adorável. Pela minha experiência, de qualquer forma.”

Obviamente eu não posso perguntar sobre drag e não perguntar sobre Drag Race UK. Como ser jurada se compara ao que você imaginava, porque você obviamente é fã há muito tempo…

“Ah sim – superfã. Então quando eu finalmente fiz parte disso, eu estava apenas tentando o meu melhor para não surtar o dia todo. Estar no set e tudo mais, foi tipo um sonho. Eu não conseguia parar de encarar o Ru, e a parte engraçada é que a primeira vez que conheci o Ru foi alguns anos antes na Drag Con, onde eu literalmente estava disposta a comprar uma boneca de $1000 só para ter a chance de conhecer RuPaul. E então, por sorte, eu esbarrei na Michelle Visage e ela ficou tipo ‘não se preocupe, vou te levar para conhecê-lo.’ Então ir disso para realmente estar no programa, foi um sonho realizado.”

Quando Drag Race UK foi anunciado, os fãs estavam te chamando para ser uma jurada. Honestamente, você ficaria muito chateada se não tivesse sido convidada?

“Para ser sincera, eu estava muito feliz internamente por meus fãs estarem fazendo isso… E eu sempre ficava “vamos lá, vocês conseguem fazer mais” e então finalmente aconteceu. Mas se eu ficaria chateada? Eu acho que ficaria sim, mas quando me ligaram para oficializar tudo, eu quase morri de gritar, honestamente, foi o ponto mais alto da minha carreira, ou um deles de qualquer forma.”

Alguma coisa te surpreendeu enquanto você estava no set e assistia conforme acontecia?

“Sim, primeiro, estava muito frio no estúdio. Eu acho que é pra maquiagem delas não derreterem, mas o prédio estava muito frio então eu coloquei uma garrafa de água quente no meu joelho embaixo da mesa enquanto acontecia o show. E você tem que sempre ficar olhando pra frente porquê as luzes da série são muito fortes, as luzes mais fortes que você poderia ver. Mas ai eu comecei a encarar a Ru e fiquei me falando para sempre olhar pra frente, mas não ajuda muito, e eu estava travada ali. Eu só queria estar com uma aparência boa para o momento.”

Assistindo o show novamente, alguma das Rainhas aparecerem diferente depois de assistir lá no set?

“Foi muito interessante, a minha semana foi a semana que The Vivienne teve uma semana um pouco baixa e estava em penúltimo lugar. E quando você é juíza, você não vê o que acontece antes. Não foi a melhor performance, mas eu ficava sempre pensando “eu espero que ela faça tudo muito bem.” Então foi muito interessante assistir novamente o show e ver a jornada dela ali, e o quão incrível ele foi até aquele momento.”

Como um fã de Little Mix, tem sido incrível ver cada uma de vocês trabalhando em seus projetos solos. Você sente que conforme o tempo foi passando, se tornaram mais confiantes em trabalhar individualmente?

“Sim, definitivamente. Nos primeiros anos foi horrível, e fazer qualquer coisa sozinha seria assustador. Nós nos apoiamos sempre, e eu acho que nós não queríamos sentir que estávamos nos separando ou as pessoas sentirem isso, quando na verdade era algo totalmente distante disso. Nós fomos crescendo e conseguimos ficar mais confiantes sobre nós mesmas, nos tornamos mulheres em grupo, e nós somos diferentes, temos diferentes hobbies, interesses e identidade e então começamos a procurar coisas nossas para fazer individualmente, enquanto estamos juntas. E eu acho que as pessoas conseguem perceber que está tudo bem fazer as coisas sozinhas, é apenas um momento para mostrar o que somos individualmente, nossos amores e paixões, e estamos sempre nos apoiando.”

Vocês estão no caminho do lançamento para o sexto álbum, e isso é raro para uma girlband. Isso provavelmente é algo que vocês devem ter orgulho.

“100%, nós não acreditamos que estamos chegando nos 10 anos, e você está certa, isso não é uma coisa comum para uma girlband. Eu acho que a chave para isso tudo é pensar grande, estando juntas, apoiando umas as outras, e ninguém tentando brilhar mais que a outra. Desde o começo nós falamos que queríamos continuar as mesmas, e no passar dos anos, tivemos momentos de pessoas no time e até fora dele falando que tinha uma ou outra que se destacava mais, que queria aparecer mais, mas nós sempre fomos muito diretas que não queríamos esse tipo de coisa. No momento em que você faz algo assim, a banda começa a se desmoronar, então por isso sempre lutamos por aquilo que acreditamos, e é tudo é sobre nossas opiniões sempre terem o mesmo peso dentro do grupo e tem funcionado para nós.”

Quase 10 anos, você acha que Little mix tem o reconhecimento que merece por estar sempre no topo o tempo todo, e continuam fazendo sucesso?

“Não, para ser sincera, eu não acho. Eu acho que mulheres no geral, é difícil ter o reconhecimento que merece, e então para um grupo de mulheres, ou uma girlband, é muito difícil. Por que eu me sinto, por alguma razão, é um estigma grudado em girlband, ainda mais cantando pop. Nós levamos anos para provar que somos incríveis, e que nós escrevemos nossas musicas e realmente levantamos a bandeira para cada coisa que acreditamos. E isso nos levou muito tempo para chegar nesse ponto. Mesmo quando nós ganhamos o Brit Awards, é muito raro você ouvir uma nomeação para uma categoria em grupo, e eu acho que uma girlband nunca ganhou esse prêmio o que é pra mim é gigantesco. Então temos muita coisa para fazer para começarmos a celebrar as mulheres, e apreciar quem somos. Eu não estou reclamando, temos muito sucesso e somos gratas demais por ter ganhado o prêmio, mas ainda há aquele sentimento de opressão. Até mesmo nos tempos de X-Factor, acho que ninguém esperava a gente ir tão bem, mas as pessoas vão experimentar e perceber o quão boa somos. “

Fonte: Huff Post UK I Tradução e Apatação: BrasilLM



29.05.20

A equipe do Hugo Gloss teve o grande prazer de realizar uma entrevista com a Jesy e Perrie via Skype durante esta quarentena. No bate papo, elas falaram sobre o novo single, Break Up Song, a vinda ao Brasil pela primeira vez e o quanto querem voltar. Também foram questionadas pela entrevistadora sobre o novo programa do grupo, The Search, e quem seria a jurada mais “mean girl” entre as quatro.

Eu diria que eu e Perrie somos as duas mais….” – Jesy

“Críticas” – Perrie interrompe.

Nós somos mais objetivas. Sabemos o que queremos, não ficamos enrolando. Eu diria que Leigh-Anne tem o coração mais mole, o que não é novidade para ninguém. Jade tem um pouco dos dois, ela é boa sendo mais sensível, mas também é boa sendo mais critica quando é necessário. Todas nós interpretamos bons papéis, o que acho que é bem necessário”. – Jesy

Elas também falaram sobre a sensação de ter essa oportunidade, de um programa só delas:

“Nos divertimos tanto gravando The Search. Acho que sempre foi um sonho nosso termos a oportunidade de sermos juradas e nunca quisemos fazer isso individualmente, sempre falamos que se pudéssemos fazer isso como um grupo seria épico. Então quando surgiu a oportunidade topamos na hora.”

Assista a entrevista completa:



29.05.20

Namorando desde 2016 e morando juntos desde 2018, Leigh-Anne e o jogador de futebol Andre Gray tem sido inseparáveis desde então.

Após muitos anos sonhando em ser casar, podemos dizer que Leigh está oficialmente noiva! O pedido foi feito por Andre ontem (28), exatamente no dia em que o casal completa 4 anos juntos.

Além do pedido muito romântico, também não faltaram felicitações por parte das meninas da Little Mix, que ficaram extremamente felizes. Confira cada detalhe:

Especialistas em joias disseram que o anel no dedo de Leigh é um diamante preto, um pouco raro e que pode custar por volta de 25.000 libras.

Momento do pedido:


.
Local do pedido produzido pela Extreme Productions:

 

Reação da Leigh em seu Instagram:

“Gente… o que acabou de acontecer… Ele fez isso, e eu disse que sim. Estou me casando com minha alma gêmea, o homem dos meus sonhos… Estou perdida nas palavras, então acho que eu vou chorar um pouco mais. @andregray_ Eu te amo muito 😩😍❤️ Meu mundo está literalmente completo ❤️”

Comentário da Perrie na publicação da Leigh

“Meu coração está tão feliz. Eu absolutamente adoro vocês dois! VOCÊ. TEM. UM. NOIVO😲😍 Parabéns por um sonho se tornando realidade e @andregray_ conseguiu a garota mais incrível do mundo!”

Comentário da Jade na publicação da Leigh

“Eu te amo tanto e estou tão feliz por vocês dois! Eu tenho um novo cunhado, pessoal.”

Comentário da Jesy na publicação da Leigh

“Essas fotos!! Amo vocês. Vocês merecem o mundo.”

Perrie no Instagram Stories:

“Finalmente algo maravilhoso para ser divulgado em 2020. Vocês não conseguem entender quão feliz isso me deixou. Minha Leigh-Anne merece o mundo e nada menos que isso. Estou muito feliz por vocês dois. Eu te amo!”

Jade no Instagram Stories:

“Minha irmã está noiva!! Vocês me ensinaram que o amor verdadeiro existe e sonhos podem ter tornar realidade. Estou muito emocionada, então não me toca. Preciso começar a ensaiar minha música para o casamento.”

Jesy no Instagram Stories:

“A foto mais fofa do mundo! Estou tão feliz por vocês. Parabéns para esse casal lindo, vocês merecem uma vida de felicidade.”

E para finalizar, esse vídeo incrível da Leigh super emocionada:



29.05.20

Foi anunciado no ano passado que a banda feminina vencedora do X Factor teria seu próprio reality show em parceria com a BBC, Little Mix: The Search, na qual elas se esforçam para criar o melhor novo grupo pop do país. No entanto, os planos para a série foram interrompidos devido à pandemia do covid-19 e ao isolamento que se seguiu, e Jade diz à Metro.co.uk que tem sido ‘bastante difícil‘ orientar novos grupos neste momento preocupante.

Os participantes foram incríveis, todos têm grupos de WhatsApp. Estão entrando e se conhecendo, estão ensaiando pelo Zoom [aplicativo].

Tem sido muito interessante. Porque nós tivemos que aprender a fazer de uma hora pra outra em termos de nos darmos bem e ver a imagem maior, é sobre formar grupos e ver a energia deles. É difícil colocá-los juntos.

Ela também acrescentou:

[Little Mix] acabou por se dar bem imediatamente. Não somos ingênuas o suficiente para pensar que isso vai acontecer com outro grupo que reunirmos, precisamos realmente acertar, cuidar deles e ajudar todos.

Mas ela também está se dando bem durante o isolamento – junto de seu próprio programa com a MTV chamado: Served! With Jade Thrilwall, onde ela conversará com as celebridades pelo Zoom (é claro) e as servirá com coquetéis e até mesmo cozinhar para eles.

Para ser sincera, não sou apresentadora, o que provavelmente faz parte da diversão.

Dá para perceber que eu não sou uma apresentadora nesse sentido! Quero ficar um pouco embriagada com alguns coquetéis, estou conversando com meus amigos, não quero fazer muito roteiro.

Juntando-se a ela para a série, estarão os ícones de RuPaul’s Drag Race Alyssa Edwards e Courtney Act, ao lado do outro ícone Kim Woodburn, bem como alguns convidados secretos da A-List. Só não peça a Jade para cozinhar para você quando tudo acabar.

Tradução & Adaptação: Equipe BRLM

Fonte original: Metrouk



26.05.20

A garota de 28 anos é aclamada pelo seu documentário da BBC, Odd One Out, no ano passado, onde ela corajosamente se abriu sobre sua saúde mental. As quatro integrantes – também compostas por Leigh-Anne Pinnock, Perrie Edwards e Jade Thirlwall – foram lançadas nos holofotes depois de ganharem o The X Factor em 2011, quando as redes sociais estavam se tornando um ambiente cada vez mais hostil.

Embora fosse uma fonte de dor constante, também era viciante e Jesy se viu acordando e verificando as piores coisas que as pessoas estavam dizendo sobre ela no Twitter. Em uma parte do documentário,  Jesy se lembra de querer tirar a própria vida. E falando sobre isso no programa Loose Women de hoje, a cantora revelou que muitas vezes não consegue se enfrentar para subir no palco.

Na maioria das vezes, como artistas, subimos ao palco e é um personagem que interpretamos, e é isso que tento fazer, mas na maioria das vezes eu nem sequer subia ao palco“, disse ela. “Houve muitas ocasiões em que eu cancelava shows porque não suportava as pessoas olhando para mim.

Seu heroísmo foi recompensado com milhares de telespectadores agradecendo ela por trazer à tona a terrível praga de trolls com Odd One Out, e ela ganhou um prêmio na cerimônia National Television Awards no início deste ano.

Mas isso quase não aconteceu.

Ninguém sabia disso e é por isso que eu não falo sobre isso há muito tempo, porque eu continuo pensando: Se eu continuar falando sobre isso, não vai desaparecer nunca. Mas o que aprendi foi que, se eu não falasse sobre, ficaria muito pior para mim.

Houve um momento no meio das filmagens quando eu enviei uma mensagem para meu amigo Adam, o diretor, e eu disse: “Não quero mais fazer isso [o documentário]”. Eu estava apavorada, estava com tanto medo que seria 10 vezes pior quando saísse.” Felizmente, ela continuou. “Acho que abriu os olhos para muita gente. As pessoas estão muito mais conscientes de como isso pode causar danos a saúde mental de alguém.

 

Tradução & Adaptação: Equipe BRLM

Fonte original: Metro



25.05.20

Jade gravou uma mensagem generosa para a família e amigos de Chloe Rutherford e Liam Curry, que tragicamente, perderam suas vidas no ataque terrorista na Manchester Arena há três anos atrás.

No dia 22 de maio de 2017, um ataque terrorista ocorreu no show da cantora norte-americana Ariana Grande em que Chloe e Liam estavam na época. Chloe, 17 e Liam, 19 – além de outras 20 vítimas. Em um vídeo compartilhado no Facebook, nesta sexta-feira, 22, Jade disse: “Hoje gostaríamos de nos juntar a todos para lembrar de Liam e Chloe, cujas vidas foram tristemente tiradas há três anos hoje“.

Ela também anunciou que sua equipe mostraria apoio doando para a Chloe & Liam Together Forever Trust. Jade acrescentou: “Gostaria de mandar muito amor para ambas as famílias e, é claro, South Shields nunca esquecerá Chloe e Liam.

Todos os anos, no aniversário de suas mortes, South Shields celebra o Pink e Blue Day para arrecadar fundos para a Chloe & Liam Together Forever Trust, que foi criada em homenagem aos dois.

Tradução & Adaptação: Equipe BRLM

Fonte original: Shields Gazette



21.05.20

Jade Thirlwall, da Little Mix, escreveu um poema sobre o impacto que a quarentena causou a sua saúde mental, afirmando que ela “tomava a liberdade como garantida.”

No poema, que foi mostrado no Instagram, a cantora descreve encontrar uma apreciação maior por sua família durante a pandemia de coronavírus, ao mesmo tempo em que expressa o quanto ela está “ansiosa por ser livre”.

O poema que Jade chama de “Lockdown Word Vomit“, foi escrita como parte de uma série de ensaios para a The World From My Window (O mundo Pela Minha Janela), uma iniciativa fundada durante o isolamento, com o objetivo de reunir histórias de todas as pessoas do mundo que estão vivendo a quarentena durante o que está acontecendo.

Tendo sido compartilhada na segunda-feira, 18 de maio, para marcar o início da Semana de Consciência em Saúde Mental – #MentalHealthAwarenessWeek, o poema de Jade começa com ela descrevendo seu estado emocional. “Eu gosto de deitar em minha banheira vazia. Deixando a água escorrer como um videoclipe. Faz um tempo desde que eu chorei. Assistindo o mundo parar de minha janela em meu flat lá no alto. Tomei a liberdade como certa”, ela escreve.

Thirlwall continua, afirmando que bebeu “18 garrafas de vinho” e que “ficou acordada demais, atormentada pela ansiedade durante a noite”. A vencedora do X-Factor diz que a experiência a ajudou a perceber que “são minha família e amigos que me fazem sorrir genuinamente” e que há “uma nova alegria no rosto de minha mãe e meu pai toda vez que eu verifico se estão bem.” A cantora lembra como tem passado seu tempo, desde ficar assistindo séries da Netflix, Money Heist, ler, tocar música e “se sentir mais inspirada para compor”.

Ela também presta homenagem à sua ascendência, afirmando que, depois de ver as fotos antigas de seu avô, ela sente que “devo usar a minha origem, minha raça e minhas raízes com mais orgulho.”

Thirlwall crítica quem tem autoridade, afirmando que “por meio de nossos líderes, o privilégio branco ainda é o centro das atenções“. No entanto, em uma nota mais positiva, ela sente um “calor recém-descoberto” quando ouve ser chamada de “tia Jade” durante telefonemas com seus parentes.

Ficar dentro se torna o novo fruto do nosso trabalho. Aprendendo o que realmente significa ser um bom vizinho”, ela escreve. “E para cada sinal do arco-íris, sinto um pouco de esperança para a próxima geração.” No final do poema, Thirlwall questiona como será a “vida normal” quando a quarentena terminar. “Estou ansiosa para ser livre, mas ainda não ser livre de novo“, conclui a cantora.

Tradução & Adaptação: Equipe BrasilLM

Fonte original: Independent UK



Little Mix Brasil • Hospedado por Flaunt • Layout por Lannie D &