visite a galeria de fotos brasillm.com/gallery

últimas imagens enviadas
24.12.20
Publicado por: Carla
Assista ao LM5: The Tour Film

Perrie Edwards, Jesy Nelson, Leigh-Anne Pinnock e Jade Thirlwall embarcaram na ‘LM5 The Tour‘ em 2019, passando por 40 arenas em toda a Europa, incluindo Espanha, Itália, Alemanha, Holanda , Bélgica, França, Reino Unido e Irlanda. Elas venderam mais de 400.000 ingressos, incluindo 5 shows esgotados no 02 London.

Little Mix gravou este filme, intitulado de ‘LM5: The Tour Film‘, no show final da turnê na icônica arena 02 de Londres. Em uma carreira que abrange um conjunto de dezenove singles, o grupo apresenta sucessos como ‘Shout Out to My Ex‘, ‘Woman Like Me‘, ‘Wings‘ e ‘Touch‘ para uma multidão de mais de 15.000. Apresentando aparições surpresa da lenda londrina Stormzy em ‘Power‘ e da sua compositora e amiga de longa data, Kamille, em ‘More Than Words‘.

O filme foi primeiramente exibido nos cinemas de alguns países, e agora o BrasilLM disponibiliza para vocês ele completo. Enjoy!

OPÇÃO 1

OPÇÃO 2

OPÇÃO 3

OPÇÃO 4



20.12.20

A cantora Jesy Nelson afirmou que uma vez foi injetada com analgésicos cinquenta vezes para que pudesse subir ao palco com Little Mix.

A estrela disse que se sentia como um robô que nunca deveria parar para descansar ou se recuperar de uma doença.

Ela fez as acusações em duas autobiografias da banda, mas os comentários não foram relatados quando os livros foram lançados em 2012 e 2016, porém chamaram a atenção depois que Jesy deixou a banda por motivos de saúde.

A jovem de 29 anos disse que as injeções aconteceram antes de um show no programa do guru da música Simon Cowell, America’s Got Talent, em 2015. Ela escreveu:

“No dia, desloquei meu ombro e não conseguia me mover. No final, recebi cerca de 50 injeções e minhas costas cheia sufocadas de hematomas. Antes do show, quando eu estava arrumando meu cabelo e maquiagem, as pessoas me davam café para me manter acordada. Eu estava tão fora de mim que não consigo me lembrar de nada sobre a performance, só de que no palco eu não conseguia me equilibrar. Foi horrível, a pior coisa que tive de fazer. Em um trabalho normal, você pode tirar um dia de folga e ninguém vai atrás de você, enquanto neste trabalho, se você perder uma apresentação, todo mundo escreve artigos, comentando nas redes sociais e sendo abusivos.”

Um ano antes, Jesy disse que recebeu antibióticos tão poderosos que a fizeram vomitar para que pudesse continuar a se apresentar enquanto sofria de um problema dentário.

Jesy também revelou que, durante o problema cardíaco da sua mãe, ela ficou tão estressada que uma de suas orelhas que estava infeccionada começou a sangrar.

Ela acrescentou:

A dor piorou tanto que eu comecei a gritar na cama. O que é estranho neste trabalho é que as pessoas não parecem acreditar que ficamos doentes como todo mundo – ou que as pessoas próximas a nós adoecem e precisamos estar com elas.”

Jesy falou sobre seus problemas nas autobiografias do Little Mix –‘Ready to Fly: Our Official Story’ e ‘Our World: Our Official Autobiography’. Ela falou várias vezes sobre como haters cruéis a atacaram por causa de seu peso e como o grupo enfrentou uma agenda implacável.

Eu acho que todo mundo se preocupa em adoecer durante uma turnê e de não poder performar. Eu amo estar em turnê, mas demanda fisicamente, e quando força ao máximo o seu corpo o tempo todo, há sempre o risco de você acabar desgastada e doente. Nós tivemos uma agenda lotada para a turnê Get Weird, e na minha cabeça eu estava sobre uma lesão no ombro que eu tinha faz anos. Eu machuquei ele dançando quando eu era uma criança e meu pescoço nunca se recuperou propriamente. Eu tenho uma hérnia de disco que não se alinha propriamente, e de vez em quando dói de novo e pescoço trava e não consigo mexer a minha cabeça. Tudo que posso fazer é esperar melhorar. Tende a acontecer se eu não tenho dançado por um tempo e então começa tudo de novo, e eu estava preocupada sobre como iria ser na turnê, mas o que nunca passou na cabeça era não ser capaz de performar por causa de problemas com meus dentes do siso. Quase na metade da turnê, em abril de 2016, eles ficaram infeccionados e a dor era excruciante. Eu estava me tratando com antibióticos poderosos que estavam me fazendo vomitar o tempo todo e eu não conseguia diminuir a dor. Por uma semana eu me senti tão mal que não conseguia dormir. Se eu dormia duas horas por noite, era sorte. Todo esse tempo nós estávamos fazendo shows energéticos e eu estava sentindo dor ao cantar. Toda vez um dos dançarinos me pegava e me rodava e eu achava que ia passar mal. Eu fiz o que pude para aguentar e continuar seguindo em frente, mas depois de uma semana de noites sem dormir, e dor constante, eu acho que comecei a sentir pena de mim mesma, e no palco em Dublin eu fiquei emocionada e desabei. No dia seguinte tivemos dois shows em Belfast e eu ainda não estava me sentindo bem. Era óbvio que eu não conseguia acompanhar. Eu precisva descansar, então tivemos que cancelar, o que foi horrível, especialmente quando tem fãs chegando no local e indo embora desapontados. Cancelar um show é a última coisa que você quer fazer, e se eu fosse capaz de fazer uma boa performance, eu teria feito. Eu fui para casa, minha mãe cuidou de mim e tudo que fiz foi dormir. Algumas vezes você precisa do conforto de estar na própria cama, e um ou dois dias longe do trabalho para melhorar. Felizmente, os antibióticos com os quais estava sendo tratada limparam a infeccão e eu voltei à estrada novamente em tempo para a próxima data, em Sheffield. Nós conseguimos administrar e reagendar os shows de Belfast, mas obviamente as pessoas ficaram chateadas, e enquanto eu recebi algumas mensagens de fãs adoráveis, eu recebi muitas críticas também. Acho que algumas pessoas presumem que você pode performar, não importa como esteja se sentindo, mas não somos robôs e nem sempre é possível, não importa o quanto queira. Em setembro de 2015 nós estávamos previstas para performar ‘Black Magic’ ao vivo no America’s Got Talent, surgindo com um time de ginástica chamado AcroArmy, que estiveram no programa um ano antes. No dia, meu ombro doeu e eu não conseguia me mexer. Eu estava agoniada e gritando. Parte da dança envolvia pular do palco para os braços de um dos ginastas e de forma alguma que eu ia conseguir fazer aquilo. Ao mesmo tempo era uma aparição tão importante de TV, a razão pela qual voamos até lá, era quase como se eu tivesse que aguentar, não importava o que acontecesse. Foi um pesadelo, eu acabei no médico que me deu injeções para diminuir minha dor, e eu estava sentindo tanta dor que soluçava de tanto chorar. Ele me deu vinte injeções e disse que não podia me dar mais, porém eu ainda estava em agoniada, então ele me mandou descansar. Foi a coisa mais surreal. Na cama ao meu lado estava uma celebridade famosa e nós acabamos batendo um papo, sem saber na verdade o que falar uma para a outra. Constrangedor! A dor não estava passando, então o médico disse que ele ia me dar mais injeções, mas me avisou que eu ia me sentir como se estivesse bêbada. No final eu levei algo como cinquenta injeções e minhas costas estavam sufocadas em hematomas. Antes do show, quando eu estava terminando meu cabelo e maquiagem, pessoas estavam me dando café para acordar. Eu estava tão fora de mim que eu não lembro de muita coisa sobre a performance, somente que no palco eu não conseguia me equilibrar. Foi horrível, a pior coisa que tive que fazer. Em um trabalho normal você pode tirar um dia de folga e ninguém te pressiona, mas nesse trabalho se perder uma performance, todos vão estar escrevendo artigos, comentando nas redes sociais e falando mal de você.

Little Mix foi a primeira banda a ganhar o show de talentos The X Factor, e assinou contrato com o selo Syco de Cowell. Seus sucessos incluem Black Magic, elas venderam 50 milhões de discos e as garotas têm uma fortuna combinada de pelo menos £ 25 milhões.

Mas problemas nos bastidores foram revelados quando Jesy gravou um documentário da BBC aclamado sobre haters.

As companheiras de banda Perrie EdwardsLeigh-Anne Pinnock, e Jade Thirlwall, disseram que continuarão com a turnê de 2021 da Little Mix.

Anunciando que estava desistindo na segunda-feira passada, Jesy disse:

“Acho muito difícil a pressão constante de estar em um grupo de garotas e atender as expectativas. Preciso passar um tempo com as pessoas que amo, fazendo coisas que me deixem feliz. Estou pronta para embarcar em um novo capítulo na minha vida – não tenho certeza de como será agora, mas espero que vocês ainda estejam lá para me apoiar. Acima de tudo, quero agradecer a Jade, Perrie e Leigh-Anne por criarem algumas das memórias mais incríveis que nunca esquecerei.”

Fonte: Mirror UK

Tradução: Equipe BrasilLM



20.12.20

Little Mix se juntou ao DJ britânico Nathan Dawe e lançaram juntos uma nova faixa na sexta, 27/11, intitulada de  “No Time For Tears”, que traz uma letra sobre superação amorosa e batidas bem agitadas. A parceria promete fazer todo mundo dançar nas pistas (quando acabar a quarentena).

A música foi lançada alguns dias após o representante do quarteto anunciar o afastamento por tempo indeterminado de Jesy Nelson – por motivos de saúde – , mas assim como na arte da capa do single, a integrante ainda estava presente na gravação da colaboração.

Confira a tradução do novo single:

Achou que ia me ver para baixo
Não vou repetir você, então estou te deletando do meu celular agora
Não vai me ver chorar
Talvez eu vá beixar alguém novo
Só porque eu quero
Estou tão cansada disso, tão cansada de você

Não, eu não preciso do seu sinto muito
Esta não é uma festa de piedade
Não estou tentando ser engraçada
Mas não tenho tempo, querido

Sem tempo para lágrimas, eu não vou chorar
Não preciso de você aqui, eu estou bem, sim
Veja bem, eu estou seguindo em frente, seguindo em frente, você não consegue acabar com a minha vibe
Nenhuma lágrima vai cair dos meus olhos (x2)

Achou mesmo que eu iria estar sozinha?
Estou tão bem sem você
Achou mesmo que eu estaria perdendo sono?
Não, eu não preciso do seu sinto muito
Esta não é uma festa de piedade
Não estou tentando ser engraçada
Mas não tenho tempo, querido

Sem tempo para lágrimas (sem tempo, eu não tenho tempo) (x3)
Nenhuma lágrima vai cair dos meus olhos

Sem tempo para lágrimas, eu não vou chorar
Não preciso de você aqui, eu estou bem, sim
Veja bem, eu estou seguindo em frente, seguindo em frente, você não consegue acabar com a minha vibe
Nenhuma lágrima vai cair dos meus olhos
Sem tempo de lágrimas

Confira o Lyric video:



18.12.20

Não existem duas formas de dizer isso: para milhares de fãs do Little Mix, a saída de Jesy Nelson foi muito, muito triste. Os melhores grupos pop são aqueles que parecem ser uma equipe divertida da qual você quer fazer parte – e quando alguém sai, é como se você perdesse seu próprio amigo. E esse com certeza é o caso aqui, depois do anúncio de Jesy de que estar no grupo realmente custou muito à sua saúde e ela estava saindo para poder priorizar a sua saúde mental e bem-estar.

É extremamente triste pensar que a multi-talentosa, cativante e incrivelmente hilária integrante, de 29 anos, está saindo de cena por um bem maior. Mas seguindo em frente com o motivo de sua saída, e tendo o apoio indiscutível de suas ex-colegas de grupo, a rainha e ganhadora do NTA (National Televison Awards), provou mais uma vez o porque ela, e Little Mix como um todo, são incríveis inspirações. Tenho certeza que não preciso dizer que além de lançarem hits clássicos, elas sempre foram bem articuladas e mente aberta em todos os tipos de problemas sociais – desde direitos LGBTQ+ e racismo à amizade e imagem corporal.

Com ela indo a público, com o que deve ter sido uma decisão extremamente difícil, Jesy, está sendo incrivelmente aberta sobre o assunto, que é sua própria saúde mental – e não é a primeira vez. Anunciando sua saída permanente do grupo após seis semanas de sua pausa prolongada, ela trouxe novamente o que já havia revelado em seu aclamado documentário ‘Odd One Out’ (2019), como disse:

Me sinto constantemente pressionada ao estar em um girlgroup e atender as expectativas dos outros é muito difícil.

Ela acrescenta:

Chega uma hora na vida em que precisamos investir mais em cuidar de nós mesmos do que em focar em fazer os outros felizes, e acho que agora é a hora de começar esse processo.

Na própria postagem delas, em que reafirmam seu amor por Jesy e se propuseram a continuar como um trio, Leigh-Anne Pinnock, Jade Thirlwall e Perrie Ewards reconheceram que isso vai ser muito triste para os seus fãs – e como uma pessoa que é mixer desde a primeira vez que elas cantaram para Tulisa e Jessie J na Casa dos Juízes, posso confirmar que elas estão certas. Mas conforme estrelas do pop deixam grupos bem sucedidos por conta de incidentes, esse caso parece diferente. Não é como quando Zayn saiu do One Direction, quando Geri saiu das Spice Girls ou Camila deixando o Fifth Harmony para projetos individuais.

Isso é porque dessa vez, parece honesto. Sincero. Sem drama, sem mistério, sem mentiras, sem controle de dano, sem resquícios de brigas por trás das câmeras… Apenas alguém fazendo o que é certo para o bem de sua própria mentalidade. Honestamente é inspirador. E espero que Jesy saiba o quão boa ela é em falar de maneira tão franca. Muitos de nós – incluindo a mim – são culpados de nos submeter a situações que não nos fazem bem até que atingimos o ápice do esgotamento, ou pior.

Mesmo quando estamos por um fio, dizemos para nós mesmos que não somos bem sucedidos o suficiente, ou que não estamos no controle o suficiente, ou fazendo o suficiente para impressionar as outras pessoas. Muitas vezes ficamos felizes em enfrentar os momentos difíceis da vida, porque sabemos que os altos fazem os baixos valerem a pena, ou porque – quando falamos de carreiras principalmente – estamos fazendo aquilo pelo qual somos apaixonados. Mas algumas vezes isso não é saudável. Algumas vezes nos mantemos em situações (pessoais ou profissionais) que não são boas para nós, porque estamos com medo de que vamos fazer ou quem vamos desapontar se sairmos delas.

O comunicado de Jesy é um lembrete que não precisa ser dessa forma. Que está tudo bem em se retirar, respirar fundo e pensar, ‘espera aí – eu preciso me colocar em primeiro lugar agora.’ É claro que nem todos tem o privilégio de poder simplesmente sair de um emprego que os está fazendo infeliz. Mas em qualquer circunstância, Jesy está mostrando aos fãs que não há vergonha ou, que Deus me perdoe, não é uma “falha” quando levamos nossa saúde mental a sério; ou reavaliamos nossos objetivos e prioridades e tomamos a decisão e reagimos se tal situação está nos trazendo mais malefícios do que bem. Levando tudo em consideração, é só o exemplo mais recente que continua a ajudar a normalização da discussão sobre saúde mental.

Ela não precisa nos dar mais nenhuma informação se ela não quer, e ela certamente não nos deve nenhuma explicação ou detalhes de quando ela estava em seu descanso nas últimas semanas. Ela está melhorando sua vida – e com base no trabalho vital que ela fez com ‘Odd One Out’. Se você precisa de alguma prova, apenas olhe a maioria dos comentários de fãs no  Twitter e Instagram, desejando nada além de felicidade à ela. O fato dos fãs mais jovens de Little Mix terem tanta empatia e respeito é algo que devemos dar crédito ao próprio grupo, e a forma que elas sempre foram exemplares quando se trata de gentileza, amizade e solidariedade.

Mas, sim, é triste ver Jesy ir, mas é natural para aqueles de nós que sempre amaram o grupo desde ‘Rhythmix‘, se sentir triste sobre isso.Mas após algumas semanas não se preocupe, é um grande alívio saber que ela está dando um grande passo em direção ao que é bom pra saúde mental dela. E não importa o que ela decida fazer depois, seja em frente ao público ou não, ela vai ter o apoio de todos os fãs – desde os adolescentes até nós gays de trinta e poucos anos.

Tradução e Adaptação: Equipe BRLM | Fonte: Metro UK



16.12.20

A cantora, que deixou a Little Mix para focar em sua saúde mental, trouxe muito talento e carisma para o grupo – mas os trolls transformaram o abuso em um aspecto marcante.

Eu entrevistei a Little Mix pela primeira vez em 2012, não muito tempo depois de elas ganharem o The X Factor, o primeiro grupo feminino a conseguir vencer a competição . Naquele ponto, elas tinham uma música em seu nome – um cover monótono de Cannonball de Damien Rice que elas rejeitariam mais tarde – mas estavam prestes a lançar seu primeiro de muitos singles de alto nível, o efervescente e empoderado Wings. Como um leitor ávido de Smash Hits quando criança, eu trouxe uma lata de biscoitos (lancheira da Lady Gaga) com perguntas e sugeri que cada integrante – Jesy Nelson, Jade Thirlwall, Perrie Edwards e Leigh-Anne Pinnock – pegasse uma aleatoriamente. De certa forma, foi um teste: elas tinham sido treinadas para ser ciborgues do pop pela gravadora Syco, de Simon Cowell, distribuindo banalidades rotineiras, ou eram superestrelas do tipo que dizem o que pensam?

A sala estava cheia não apenas com o grupo, mas também com sua equipe e vários funcionários da Syco. “Qual é o cheiro do amor?”, uma delas leu, inocentemente. “Pinto!” gritou Nelson antes de se desintegrar em histeria enquanto os olhos de todos percorriam a sala, presumindo que a entrevista tinha acabado. Ninguém disse nada. “Na verdade, é suor”, ela concluiu, seu sorriso tão grande quanto seu cabelo.

Como Mel B nas Spice Girls ou Sarah Harding em Girls Aloud, Jesy Nelson – que deixou o grupo para focar em sua saúde mental – era a animada da Little Mix, muitas vezes o foco de atenção durante as apresentações por sua pura paixão e determinação. O fato de parecer mascarar uma vulnerabilidade mais profunda apenas fazia as pessoas terem mais carinho por ela. Ela claramente tinha, na falta de uma frase melhor, o fator X. Se as pessoas não levassem o grupo a sério, ela seria aquela a forçá-los a se submeter, muitas vezes usando collant e botas de cano alto.

Incrivelmente, quando elas finalmente ganharam um Brit em 2017, Nelson relembrou o famoso discurso de aceitação de Harding em uma entrevista nos bastidores, balbuciando “já estava na hora” com o estilo de um Gallagher enquanto suas companheiras de grupo tentavam manter uma cara séria. Ela se destacou porque conseguiu transpor sua personalidade – um estilo duramente conquistado, com uma dose de charme de Essex – para a arena pop sem perder quem ela era. As entrevistas eram frequentemente pontuadas com imitações aleatórias – como esquecer “balegdah”, um meme para todos os tempos? – ou desviadas por fofocas. Quando as entrevistei pela última vez em 2019, elas tinham acabado de sair da Syco e tinham se distanciado de Simon Cowell. Esse tópico específico estava muito fora de questão. Quando perguntei sobre isso, todos ficaram em silêncio, os mesmos olhos correndo ao redor da sala novamente, antes que Nelson falasse. “Então, foi isso que aconteceu…

E ainda há uma triste inevitabilidade sobre o anúncio de segunda-feira de que Nelson está deixando a banda. Em uma cultura pop onde a misoginia ainda é abundante, com a própria silhueta de uma mulher sendo colocada sob esses parâmetros estreitos de aceitação, se você se destacar, você se torna um alvo. Durante seu tempo nos shows ao vivo do X Factor, quando ela não estava no palco mostrando seu vocal rouco, sua marca registrada, ela era frequentemente vista em lágrimas, o rosto do bullying nas mãos de trolls online que a marcaram como diferente, ou seja, não magra o suficiente para uma estrela pop. No documentário vencedor do National Televison Awards do ano passado, Jesy Nelson: Odd One Out, ela foi extremamente honesta sobre seus problemas de saúde mental, lembrando como no dia em que o grupo ganhou o programa ela estava em lágrimas, depois de ler uma mensagem no Facebook referindo-se a ela como feia e sugerindo que ela merecia morrer. Em 2013, ela tentou se matar logo após retornar ao palco do X Factor, sua nova aparência mais magra causando outra onda de abuso online. Em 2018, tendo tentado se apropriar e celebrar seu corpo por meio do single Strip e do clipe que mostrava as integrantes nuas, cobertas pelos insultos que elas sofreram, Piers Morgan usou seu programa de TV nacional para rejeitar o movimento como um golpe publicitário.

Nelson se referiu a ele como um “idiota” ao vivo na BBC Radio 1 dias depois, mas você só pode estufar o peito e fingir que não doeu por muito tempo. O abuso veio em ondas de todas as direções e era frequentemente repetido para Nelson em busca de uma declaração, porque lutar contra trolls venenosos se tornou sua postura padrão desde que ela se tornara famosa. Nelson ajudou a tornar o diálogo sobre saúde mental muito mais claro, muito mais honesto, mas quando você se torna um símbolo, a pessoa que está por baixo pode às vezes se perder. “Acho muito difícil a pressão constante de estar em um grupo de garotas e corresponder às expectativas”, diz a declaração de partida tipicamente honesta de Nelson. “Chega um momento na vida em que precisamos investir em cuidar de nós mesmos, em vez de focar em fazer outras pessoas felizes.

 

Tradução e Adaptação: EquipeBRLM | Fonte: The Guardian



14.12.20

As cantoras da Little Mix estão entre as estrelas que foram reconhecidas por seu trabalho em prol da igualdade racial no Reino Unido.

É particularmente comovente este ano, dada a proeminência do movimento Black Lives Matter, que virou uma revolta global em 2020 após a trágica morte de George Floyd nos Estados Unidos.

Enquanto aceitavam o prêmio, Leigh-Anne disse:

Eu só quero dizer um enorme obrigado por terem votado para que eu e a Jade ganhássemos o prêmio de igualdade, é absolutamente incrível.  Eu me sinto tão emocionada e grata por ter recebido um prêmio como esse, vou continuar usando minha plataforma para continuar falando sobre raça e lutar por essa causa. Eu realmente sinto que tem tantas pessoas espalhadas por aí que estão ao nosso lado para mudar e lutando por isso. Infelizmente, isso não está sendo falado nas redes sociais ou em notícias, então este prêmio é para eles.

Jade acrescentou:

É importante para nós, como duas mulheres de cor na indústria da música, compartilhar nossas experiências na esperança de inspirar nossos jovens fãs a se orgulharem de quem são e de fazer a diferença neste mundo. […] Este ano nos levou a uma jornada educacional por colocar palavras em ações e usar nossa voz para realmente tomar uma posição. Estou muito orgulhosa da minha irmã Leigh e estou muito, muito feliz por podermos compartilhar essa conquista juntas.

O Ethnicity Awards anual, é um evento realizado em associação com os patrocinadores da HSBC UK. Foi apresentado pelo apresentador de TV e ex-jogador de futebol Alex Scott. Leigh-Anne se abriu sobre o racismo que ela vivenciou sendo a única cantora negra da girl band onde, segundo ela, a mesma se sentia invisível.

A cantora de Woman Like Me disse no programa de TV, This Morning:

Eu simplesmente senti que algumas pessoas não se importassem tanto, como se elas não estivessem ouvindo o suficiente. Obviamente, essa é a primeira vez na minha vida que o mundo inteiro fala sobre racismo, fala sobre a vida dos negros. Estou tão impressionada com isso e pensei: ‘sinto que preciso me livrar dessa dor que tenho carregado por nove anos, e também espero conhecer mais pessoas’.

Jade também revelou que sofreu racismo enquanto crescia devido à sua raça mista.

Tradução e Adaptação: Equipe BRLM | Fonte: Metro UK



14.12.20

É com muito pesar que o BrasilLM vem anunciar que hoje, nesta segunda-feira (14), a nossa Jesy deixou o grupo para cuidar da sua saúde mental. Neste momento, é importante cuidarmos de nós mesmos e apoiarmos as meninas e também a Jesy, da mesma maneira que fazemos há tanto tempo.

Abaixo está o comunicado feito pelas meninas da Little Mix através do Twitter e traduzido pela nossa equipe:

 

“Depois de 9 anos incríveis juntos, Jesy decidiu deixar Little Mix. Este é um momento extremamente triste para todos nós, mas apoiamos totalmente Jesy. Nós a amamos muito e concordamos que é muito importante que ela faça o que é certo para sua saúde mental e bem-estar” Little Mix pic.twitter.com/NwYnj65E07

— Little Mix Brasil (@BrasilLM) December 14, 2020

 

Leiam abaixo o comunicado de Jesy feito através da sua conta do Instagram e traduzido pela nossa equipe:

 

Para todos os meus Mixers,

Os últimos nove anos na Little Mix tem sido os mais incríveis da minha vida.

Nós conquistamos coisas que eu nunca achei que seria possível. De ganhar o nosso primeiro Brit Award até shows esgotados na arena O2. Tendo feito amigos e fãs ao redor do mundo eu não posso agradecê-los o suficiente do fundo do meu coração por fazerem eu me sentir a garota mais sortuda do mundo. Vocês sempre estiveram lá para apoiar e me encorajar e eu nunca vou esquecer.

A verdade é que recentemente estar na banda tem afetado minha saúde mental. Eu acho a constante pressão de ser de um grupo feminino e alcançar as expectativas muito difícil.

Há um momento em nossas vidas que precisamos reinvestir em cuidar de nós mesmos ao invés de focar em fazer outras pessoas felizes, e eu sinto que agora este é a hora de começar este processo.

Então após muita consideração e um pesar no coração, estou anunciando que estou deixando a Little Mix.

Eu preciso passar um tempo com as pessoas que eu amo, fazendo coisas que me deixam feliz. Eu estou pronta para embarcar em um novo capítulo da minha vida — Eu não tenho certeza do que vai ser agora, mas espero que ainda estarão lá para me apoiar.

Eu quero agradecer à todos envolvidos em nossa jornada. Todo o trabalho duro e dedicação feita para nos fazer ser um sucesso.

À cada fã que veio nos ver em um shows, que ouviu nossas músicas e cantou com todo o coração, me mandou mensagens e me apoiou pelo caminho eu quero que saibam que eu amo muito todos vocês e eu nunca poderia ter feito isso sem vocês e eu agradeço infinitamente.

Principalmente eu gostaria de agradecer à Jade, Perrie e Leigh-Anne por criarem algumas das memórias mais maravilhosas que eu nunca vou esquecer. Eu espero que vocês continuem a realizar todos os seus sonhos e continuem a fazer música que as pessoas amam.

Com amor, Jesy ❤



Little Mix Brasil • Hospedado por Flaunt • Layout por Lannie D &