visite a galeria de fotos littlemixpics.com

últimas imagens enviadas
20.12.20

A cantora Jesy Nelson afirmou que uma vez foi injetada com analgésicos cinquenta vezes para que pudesse subir ao palco com Little Mix.

A estrela disse que se sentia como um robô que nunca deveria parar para descansar ou se recuperar de uma doença.

Ela fez as acusações em duas autobiografias da banda, mas os comentários não foram relatados quando os livros foram lançados em 2012 e 2016, porém chamaram a atenção depois que Jesy deixou a banda por motivos de saúde.

A jovem de 29 anos disse que as injeções aconteceram antes de um show no programa do guru da música Simon Cowell, America’s Got Talent, em 2015. Ela escreveu:

“No dia, desloquei meu ombro e não conseguia me mover. No final, recebi cerca de 50 injeções e minhas costas cheia sufocadas de hematomas. Antes do show, quando eu estava arrumando meu cabelo e maquiagem, as pessoas me davam café para me manter acordada. Eu estava tão fora de mim que não consigo me lembrar de nada sobre a performance, só de que no palco eu não conseguia me equilibrar. Foi horrível, a pior coisa que tive de fazer. Em um trabalho normal, você pode tirar um dia de folga e ninguém vai atrás de você, enquanto neste trabalho, se você perder uma apresentação, todo mundo escreve artigos, comentando nas redes sociais e sendo abusivos.”

Um ano antes, Jesy disse que recebeu antibióticos tão poderosos que a fizeram vomitar para que pudesse continuar a se apresentar enquanto sofria de um problema dentário.

Jesy também revelou que, durante o problema cardíaco da sua mãe, ela ficou tão estressada que uma de suas orelhas que estava infeccionada começou a sangrar.

Ela acrescentou:

A dor piorou tanto que eu comecei a gritar na cama. O que é estranho neste trabalho é que as pessoas não parecem acreditar que ficamos doentes como todo mundo – ou que as pessoas próximas a nós adoecem e precisamos estar com elas.”

Jesy falou sobre seus problemas nas autobiografias do Little Mix –‘Ready to Fly: Our Official Story’ e ‘Our World: Our Official Autobiography’. Ela falou várias vezes sobre como haters cruéis a atacaram por causa de seu peso e como o grupo enfrentou uma agenda implacável.

Eu acho que todo mundo se preocupa em adoecer durante uma turnê e de não poder performar. Eu amo estar em turnê, mas demanda fisicamente, e quando força ao máximo o seu corpo o tempo todo, há sempre o risco de você acabar desgastada e doente. Nós tivemos uma agenda lotada para a turnê Get Weird, e na minha cabeça eu estava sobre uma lesão no ombro que eu tinha faz anos. Eu machuquei ele dançando quando eu era uma criança e meu pescoço nunca se recuperou propriamente. Eu tenho uma hérnia de disco que não se alinha propriamente, e de vez em quando dói de novo e pescoço trava e não consigo mexer a minha cabeça. Tudo que posso fazer é esperar melhorar. Tende a acontecer se eu não tenho dançado por um tempo e então começa tudo de novo, e eu estava preocupada sobre como iria ser na turnê, mas o que nunca passou na cabeça era não ser capaz de performar por causa de problemas com meus dentes do siso. Quase na metade da turnê, em abril de 2016, eles ficaram infeccionados e a dor era excruciante. Eu estava me tratando com antibióticos poderosos que estavam me fazendo vomitar o tempo todo e eu não conseguia diminuir a dor. Por uma semana eu me senti tão mal que não conseguia dormir. Se eu dormia duas horas por noite, era sorte. Todo esse tempo nós estávamos fazendo shows energéticos e eu estava sentindo dor ao cantar. Toda vez um dos dançarinos me pegava e me rodava e eu achava que ia passar mal. Eu fiz o que pude para aguentar e continuar seguindo em frente, mas depois de uma semana de noites sem dormir, e dor constante, eu acho que comecei a sentir pena de mim mesma, e no palco em Dublin eu fiquei emocionada e desabei. No dia seguinte tivemos dois shows em Belfast e eu ainda não estava me sentindo bem. Era óbvio que eu não conseguia acompanhar. Eu precisva descansar, então tivemos que cancelar, o que foi horrível, especialmente quando tem fãs chegando no local e indo embora desapontados. Cancelar um show é a última coisa que você quer fazer, e se eu fosse capaz de fazer uma boa performance, eu teria feito. Eu fui para casa, minha mãe cuidou de mim e tudo que fiz foi dormir. Algumas vezes você precisa do conforto de estar na própria cama, e um ou dois dias longe do trabalho para melhorar. Felizmente, os antibióticos com os quais estava sendo tratada limparam a infeccão e eu voltei à estrada novamente em tempo para a próxima data, em Sheffield. Nós conseguimos administrar e reagendar os shows de Belfast, mas obviamente as pessoas ficaram chateadas, e enquanto eu recebi algumas mensagens de fãs adoráveis, eu recebi muitas críticas também. Acho que algumas pessoas presumem que você pode performar, não importa como esteja se sentindo, mas não somos robôs e nem sempre é possível, não importa o quanto queira. Em setembro de 2015 nós estávamos previstas para performar ‘Black Magic’ ao vivo no America’s Got Talent, surgindo com um time de ginástica chamado AcroArmy, que estiveram no programa um ano antes. No dia, meu ombro doeu e eu não conseguia me mexer. Eu estava agoniada e gritando. Parte da dança envolvia pular do palco para os braços de um dos ginastas e de forma alguma que eu ia conseguir fazer aquilo. Ao mesmo tempo era uma aparição tão importante de TV, a razão pela qual voamos até lá, era quase como se eu tivesse que aguentar, não importava o que acontecesse. Foi um pesadelo, eu acabei no médico que me deu injeções para diminuir minha dor, e eu estava sentindo tanta dor que soluçava de tanto chorar. Ele me deu vinte injeções e disse que não podia me dar mais, porém eu ainda estava em agoniada, então ele me mandou descansar. Foi a coisa mais surreal. Na cama ao meu lado estava uma celebridade famosa e nós acabamos batendo um papo, sem saber na verdade o que falar uma para a outra. Constrangedor! A dor não estava passando, então o médico disse que ele ia me dar mais injeções, mas me avisou que eu ia me sentir como se estivesse bêbada. No final eu levei algo como cinquenta injeções e minhas costas estavam sufocadas em hematomas. Antes do show, quando eu estava terminando meu cabelo e maquiagem, pessoas estavam me dando café para acordar. Eu estava tão fora de mim que eu não lembro de muita coisa sobre a performance, somente que no palco eu não conseguia me equilibrar. Foi horrível, a pior coisa que tive que fazer. Em um trabalho normal você pode tirar um dia de folga e ninguém te pressiona, mas nesse trabalho se perder uma performance, todos vão estar escrevendo artigos, comentando nas redes sociais e falando mal de você.

Little Mix foi a primeira banda a ganhar o show de talentos The X Factor, e assinou contrato com o selo Syco de Cowell. Seus sucessos incluem Black Magic, elas venderam 50 milhões de discos e as garotas têm uma fortuna combinada de pelo menos £ 25 milhões.

Mas problemas nos bastidores foram revelados quando Jesy gravou um documentário da BBC aclamado sobre haters.

As companheiras de banda Perrie EdwardsLeigh-Anne Pinnock, e Jade Thirlwall, disseram que continuarão com a turnê de 2021 da Little Mix.

Anunciando que estava desistindo na segunda-feira passada, Jesy disse:

“Acho muito difícil a pressão constante de estar em um grupo de garotas e atender as expectativas. Preciso passar um tempo com as pessoas que amo, fazendo coisas que me deixem feliz. Estou pronta para embarcar em um novo capítulo na minha vida – não tenho certeza de como será agora, mas espero que vocês ainda estejam lá para me apoiar. Acima de tudo, quero agradecer a Jade, Perrie e Leigh-Anne por criarem algumas das memórias mais incríveis que nunca esquecerei.”

Fonte: Mirror UK

Tradução: Equipe BrasilLM

Little Mix Brasil • Hospedado por Flaunt • Layout por Lannie D &