visite a galeria de fotos brasillm.com/gallery

últimas imagens enviadas
11.11.21

Leigh-Anne, Jade e Perrie revisam seu catálogo e refletem sobre por que 2021 foi um “ano incrível para todas nós”

“Este ano foi tão lindo,” Jade Thirlwall diz com seu forte sotaque Geordie, apenas alguns minutos em uma chamada Zoom com a Billboard. “Houve muitas mudanças importantes para todas nós neste ano.”

Ela não está exagerando: o grupo feminino britânico de enorme sucesso está passando por um momento de transformação em vários níveis. O agora trio está celebrando seu 10º aniversário – uma vida inteira para um artista pop, especialmente um gerado pelo The X Factor em 2011 – e fechando a sua primeira década com “Between Us”, um projeto de grandes sucessos que será lançado nesta sexta-feira. Em agosto, as integrantes Leigh-Anne Pinnock e Perrie Edwards também se tornaram mães pela primeira vez, dando boas vindas a gêmeos e um menino, respectivamente, com apenas alguns dias de diferença nos partos. (As duas estavam conciliando os deveres de mães com as obrigações de estrelas do pop quando falaram com a Billboard no final de outubro – Edwards disse ao grupo para começar a entrevista sem ela e se juntou à videochamada um pouco mais tarde.)

“Você nunca pode se preparar para como sua vida vai mudar. Ser mãe é a bênção mais incrível e linda e eu realmente não tenho palavras para isso ”, diz Pinnock“Tem sido um ano realmente incrível para nós. Crescemos muito e tantas coisas lindas aconteceram para todos. Tem sido um bom ano.”

Little Mix descrever o ano de 2021 em termos tão brilhantes pode ser uma surpresa para alguns, dada a outra grande mudança pela qual o grupo passou recentemente – tornar-se um trio e o tumulto que se seguiu. No final do ano passado, não muito depois de lançar seu sexto álbum, Confetti”, Jesy Nelson anunciou que estava saindo do grupo, explicando que as pressões de estar em um grupo de garotas estavam afetando muito a sua saúde mental.

No entanto, quando ela lançou sua carreira solo neste outono com a colaboração de Diddy com Nicki Minaj no single “Boyz”, as coisas ficaram mais complicadas. Depois que os críticos acusaram Nelson de“Blackfishing” e promover estereótipos raciais na música e no clipe, ela se juntou a Minaj para uma live no Instagram, na qual ela disse que suas colegas de grupo nunca a abordaram preocupadas com sua aparência até o último clipe filmado [de “Sweet Melody”]; por sua vez, Minaj atacou os outros membros do grupo na live e nas redes sociais, referindo-se a elas como “ciumenta” e “palhaça [s]” e acusando Little Mix de “assédio moral” contra Nelson. (Desde então, Nelson disse que “não há rivalidade” com as integrantes restantes.)

Até agora, o grupo se absteve de comentar sobre as polêmicas em detalhe; em conversa com a Billboard , elas não falam da saída de Nelson, apenas enquadram os últimos meses em termos de crescimento pessoal.

“Observando as meninas e eu mesma, e eu sinto que este é o ano em que conquistamos a nossa própria independencia e sucesso”, diz Thirlwall.

Pinnock acena com a cabeça em concordância. “Estamos em um ponto em que somos mulheres adultas, todas temos muita confiança em nossa própria pele e sabemos exatamente quem somos agora, tanto individualmente quanto dentro do grupo. Sinto uma energia calma com nós três agora. Nós sabemos quem somos. Nós temos ums as outras. E é sobre isso.”

Então elas se fortaleceram como um trio, planejando uma turnê no Reino Unido-Irlanda em 2022 e continuando a lançar novas músicas em seu ritmo constante – desdeConfetti”, elas lançaram cinco singles e clipes, além de gravar novas músicas para Between Us”. Para um grupo que nunca parou por mais de dois anos entre os álbuns de estúdio, mesmo durante a pandemia, Thirlwall diz que uma coletânea de grandes sucessos ofereceu ao trio a chance de apertar o botão de pausa.

“Relembrando quando estávamos escolhendo faixas para o álbum – ouvindo a discografia e escolhendo o que entraria na coletânea – foi incrível voltar no tempo e revisitar essas memórias”, diz ela. “Quando você não para e está apenas dentro deste processo, esquece o quanto evoluiu e mudou ao longo dos anos.”

“Os últimos anos foram mais silenciosos do que o normal, obviamente, com tudo acontecendo”, acrescenta Pinnock“Mas ainda conseguimos fazer clipes, muitas divulgações- fizemos muito considerando a situação! A principal coisa que sentimos falta é a turnê. Todas nós tivemos nosso tempo para relaxar. Agora, coloque-nos de volta na frente de nossos fãs. ”

Enquanto o grupo reflete sobre uma década com o lançamento do “Between Us”, a Billboard pediu a Little Mix para olhar para trás em sua discografia – não apenas os sucessos, mas osas músicas profundas, as favoritas dos fãs e muito mais.

A música que você diria a um novo fã para ouvir primeiro:

Leigh-Anne: Jade, acho que você pode concordar – “Sweet Melody”?

Jade: Sim. Essa preenche todos os requisitos. Está te dando vocais, está te dando coreografia, é uma batida brilhante, é dançante, é edificante, é sexy, é divertida.

Leigh-Anne: Representa Little Mix!

A música que você tem que incluir na setlist do show ou os fãs vão se revoltar:

Leigh-Anne: “Shout Out To My Ex”, né? Essa é o hino. É um fato. “Shout Out” tem que estar na setlist, 100 por cento.

Jade: É a que geralmente tende a reagir melhor. Cada pessoa naquele público pode se relacionar com essa música. Todo mundo tem um ex. Todo mundo tem essa pessoa. E então, quando tocamos, você pode ver um mar de pessoas gritando no refrão e fazendo o movimento de punho para cima como nós fazemos. É um hino de bem-estar adequado ao qual todos podem se relacionar.

A música que você sempre deseja cantar – mesmo que ninguém mais se importe:

Jade: Oh meu Deus. Lembro que na turnê do “Glory Days” eu teria lutado até a morte para encaixar “Nothing Else Matters na setlist.

Leigh-Anne: Oh sim! [Risos]

Jade: Eu estava tipo, “eu não dou a mínima para quem gosta disso ou não, está acontecendo.” E eu realmente acho que reagiu muito bem na turnê, o público realmente gostou. É um momento adorável para respirar. “Nothing Else Matters” foi um hino subestimado no álbum “Glory Days”.

Leigh-Anne: Eu sinto que tudo que eu amo nunca entra! [Perrie entra no chat de vídeo.] Oi Perrie! Estamos falando sobre a música que você adora cantar e você não dá a mínima se ninguém gosta dela. Eu estava apenas dizendo que cada música que amo nunca entra no setlist porque amo as músicas mais subestimadas.

Perrie: Oh não! Isso deve ser tão irritante! Mas eu sinto que é verdade.

Leigh-Anne: É verdade! [Risos] Em “Confetti”, eu adoro “Breathe,” mas essa realmente não é uma favorita, o que é perturbador. Outra favorita é “I Love You” [do Get Weird]. Nunca cantamos essa. Isso é triste.

Perrie: Para mim, sempre quero cantar todas as baladas. Eu só quero entrar no palco e cantar por meia hora [as baladas]. Mas em um show da Little Mix, isso realmente não acontece. Nós temos “Secret Love Song” e todos os grandes singles que foram baladas, mas eu sempre quero cantar “Monster In Me” ou “Love Me Or Leave Me”. É difícil porque – isso soa tão terrível e arrogância – nós temos tantas músicas incríveis! Quando escolhemos as setlists, é muito difícil colocar nossas favoritos lá.

A música que levou sua carreira a um novo nível:

Perrie: “Touch”. É aquela vadia, não é?

Leigh-Anne: Mudou o jogo.

Perrie: Quando lançamos “Touch”, abrimos muito mais nossa base de fãs. As pessoas estavam ouvindo no rádio e pensando: “Meu Deus, isso é um hino”. Muitas pessoas começaram a curtir Little Mix pensando: “Isso é incrível, isso é tão legal”.

Jade:  Eu lembro que estávamos [promovendo] “Shout Out to My Ex”, mas realmente sentimos que “Touch” deveria ter sido o single principal quando fomos para os EUA para a turnê da Ariana Grande [para Dangerous Woman Tour]. Além disso, o clipe realmente não era o que esperávamos. O plano de fundo [com a tela verde] não era o que pensávamos que seria, e no início ficamos um pouco desanimadas. E então nós vimos o clipe e se tornou viral e foi tipo “Oh! Isso é muito bom!”

Perrie: E a Coreografia de Parris Goebel é simplesmente irreal.

E a moda também – Perrie, eu achei o corset de couro sobre o moletom tão legal e original.

Perrie: Obrigada! Todo mundo odeia isso! A quantidade de merda que recebo por aquele espartilho diariamente está além de mim.

Jade: Foi um momento!

A música que você está mais animada para tocar na turnê:

Perrie: “Sweet Melody!” Já foi lançada há mais de um ano, fez muito sucesso, mas nunca tocamos na frente de uma multidão. Não é estranho? Fizemos apresentações na TV, mas nunca fizemos isso para nossos fãs.

Jade: Quando eu estive em LA recentemente, fui a um bar gay em uma noite e “Sweet Melody” começou. Muitos caras no bar começaram a fazer a coreografia. É aí que você sabe que é bom: se você puder ir a um bar gay e eles souberem refazer a coreografia.

Uma música que não foi single e se tornou uma das favoritas dos fãs:

Jade: “Wasabi” [do LM5 de 2018].

Leigh-Anne: Decolou, não foi?

Jade: Merecia ser um single, mas não deu certo. “Wasabi” teve mais streams do que alguns dos singles desse álbum, o que é bem louco. E também “Secret Love Song, parte 2” realmente ganhou vida própria no álbum “Get Weird”. Isso foi meio que reivindicado como um hino para a comunidade LGBTQ+ entre nossos fãs. Então foi bom que ele fez sucesso organicamente e teve um mundo próprio.

Leigh-Anne: “Love Me or Leave Me” [do Get Weird] tem muitos streams.

Perrie: Sério?!

Leigh-Anne: Sim, está, tipo, no topo de nossas músicas com mais streams.

Perrie: Eu não acredito!

Leigh-Anne: Essa e “Wasabi” são os não singles com mais streams.

Perrie: Isso é incrível. Eu não sabia disso.

A música antiga com a qual você se reconectou recentemente:

Leigh-Anne: Lembram de “Towers ” do álbum Salute? Acho que a gravadora queria que fosse um single, e nós pensamos, “Não, não queremos!” Mas agora eu amo isso. É adoravel. Não é estranho como você muda de ideia?

Jade: Eu me sinto assim com“Woman Like Me” porque tanta merda aconteceu durante aquela época [se referindo a elas deixando a gravadora Syco], e isso me fez não gostar da música. Fiquei um pouco impactada com as experiências que cercaram a música. Mas, anos depois, posso olhar para trás e pensar, “Na verdade, é uma ótima música pop, é brilhante.” E o vídeo é fenomenal, um dos nossos melhores.

Perrie: Tem uma aleatória que eu quase não quero dizer, mas é – oh meu Deus, eu não consigo nem lembrar, como se chama? [Cantando] “Então, oh, diga-me…”

Jade: Ah! “They Just Dont Know You.”

Perrie: Sim! Eu ouvi essa não faz muito tempo e pensei, “Oh sim, essa é realmente uma boa música”.

Leigh-Anne: [Cantando] “Ela não gosta da maneira como você usa o seu cabelo…”

Perrie: Essa letra me faz sentir um pouco embaraçada, mas é uma boa música.

A música que recebeu uma recepção diferente no exterior:

Leigh-Anne: “Reggaetón Lento” [com CNCO] foi muito vibrante no Brasil. Eu sinto que essa foi huge mundialmente

Jade: Sim, mais do que no Reino Unido

Perrie: Por que eu sinto que quando cantávamos  “How Ya Doin’?” no Japão eles se animavam?[As outras duas caíram na gargalhada.]

Jade: Sim, foi.

Perrie: Assim que eles ouviam [cantando] “Hey, how ya doin”, eles adoravam! Eu lembro!

Leigh-Anne: “Secret Love Song” também no Japão.

Perrie: O Japão adora baladas. É um silêncio absoluto na arena. Você pode ouvir um alfinete cair quando canta uma balada porque eles apreciam muito.

A colaboração da qual você não pode acreditar que faz parte:

Jade: Quando fizemos “More Than Words” no LM5 com o Timbaland. Ele é uma lenda na produção de músicas. E embora não tenhamos trabalhado diretamente com ele na faixa, quando você ouve “More Than Words”, pode dizer que é uma faixa de Timbaland. Ele foi tão monumental na indústria da música. Ele trouxe todas aquelas músicas incríveis, com Nelly Furtado e tudo mais – e aquele álbum que ele fez [Shock Value], que era hino após de hino. É simplesmente icônico. Então, para mim, foi um bom momento.

Leigh-Anne: Uma sobre a qual não falamos o suficiente é “Red Planet” com T-Boz de TLC. 

Perrie: Um membro do TLC participando de uma de nossas músicas assim que começamos foi louco. Tivemos muita sorte.

Jade: E Missy Elliott também no álbum de DNA. Missy Elliott! Eu sinto que não percebi na época o quão icônico isso era. Nós literalmente temos a rainha do rap original, Missy Elliott, uma lenda absoluta, apenas casualmente fazendo um verso em “How Ya Doin ‘?” E ela foi mentora de Sharaya J, quem está na música “strip”[do LM5]. Portanto, foi um momento de círculo completo, saber que uma das protegidos de Missy está em uma de nossas canções anos depois. Isso é bem legal.

A música que você gostaria de dar uma segunda vida com um remix:

Leigh-Anne: “Sweet Melody” com Cardi B?

Jade: Isso seria incrível.

Perrie: Ou algo como “FU,” mas com o Bruno Mars?

Jade: Sim! Amo isso.

Perrie: Isso seria incrível, não é?

A música que você gostaria de consertar com mais um dia no estúdio:

Perrie: Para mim seria o álbum inteiro do DNA ou apenas “Turn Your Face”. Eu tinha amígdalas naquela época e não tenho amígdalas agora. Então, quando ouço, fico tipo: “Quem é essa?” É uma loucura. Então, eu iria regravar esse álbum, eu acho.

Jade: Você soa tão diferente naquele álbum, é insano.

Perrie: É louco. Lembro-me de estar sempre doente, de ter amigdalite constantemente. E eu apenas tive que gravar de qualquer maneira. Você pode dizer que eu soo horrível.

A nova música que você mais deseja que os fãs ouçam:

Perrie: “Between Us”.

Leigh-Anne: Aw!

Perrie: Todas nós vamos chorar toda vez que ouvirmos isso. Jade chama isso de nossa canção de amor de umas para as outras. É basicamente sobre nossa amizade, nossa irmandade e o amor que temos umas pelas outras. É muito fofo, e sabemos que quando cantarmos em turnê, não vamos passar por isso sem chorar.

As músicas que melhor mostram umas às outras:

Jade: Para Perrie, com certeza  é “Secret Love Song”. Porque sempre que cantamos ao vivo, ela sempre segura a última nota no final: “I’m yooooours!” E em algumas noites parece que a nota dura por 10 minutos, mas da melhor maneira possível. É fenomenal. Esse controle de respiração é realmente incomparável.

Leigh-Anne: Concordo!

Perrie: Obrigada!

Jade: E os fãs adoram. E então com Leigh-Anne, ooh, qual é o meu momento da Leigh-Anne favorito?

Perrie: Eu me lembro de “Your Love” quando ela faz [cantando as notas altas] “Your love make me feel like!”e toda a multidão grita “Aaaaaaah!”

Leigh-Anne: Eu amo essa música.

Perrie: Leigh-Anne na Versão acústica “Touch”, as pessoas também enlouquecem.

Jade: Há uma apresentação que Leigh-Anne faz em termos de dança, qual é? Eu vi no Instagram recentemente. Minha página Explorar mostra apenas as outras garotas tendo momentos incríveis no palco. O Instagram sabe que é isso que eu amo.

Perrie: Quando cantamos “Secret Love Song” ao vivo no nosso programa “The Search” – isso me pega todas as vezes.

Leigh-Anne: Eu ia dizer essa para você!

Perrie: E você ?!

Leigh-Anne: A nota final, você literalmente faz como Céline Dion. Você nunca tinha feito assim antes.

Jade: “Secret Love Song” no “The Search” foi ótima para todos nós.

Perrie: Acho que somos fantásticos cada vez que cantamos! [Risos]

Leigh-Anne: Você sabe qual foi realmente boa? O último acústico que acabamos de fazer,“Confetti.” Essa foi ótima.

Perrie: Os Adlibs da Jade, ela detonou. Eles eram muito bons.

Jade: Em termos de clipe, para mim “Shout Out” foi um momento da Perrie muito bom. Todo mundo adorou a maquiagem e os fios rosa em seu cabelo. Para Leigh-Anne, lembro-me de assistir o clipe de “No More Sad Songs” [com Machine Gun Kelly] tipo, “Yeaaaaaah.”

Perrie: E “Power, “quando ela desfila pela rua com o cachorro? Surreal. E a Jade no clipe de “Sweet Melody” – quer dizer, vamos lá!

Leigh-Anne: Sim!

Jade: Poderíamos continuar por horas.

 

Fonte: Billboard

Tradução e adaptação: Equipe Little Mix Brasil

Little Mix Brasil • Hospedado por Flaunt • Layout por Lannie D &