visite a galeria de fotos brasillm.com/gallery

últimas imagens enviadas
25.11.21

Jade Thirlwall provou ser uma das maiores aliadas da comunidade LGBTQ + na atualidade.

De marchar com o UK Black Pride e trabalhar com a Stonewall, instituição de caridade LGBTQ +, á plataforma de artistas queer em vídeos de Little Mix e se tornar a embaixadora não oficial da marca RuPaul’s Drag Race, a estrela naturalmente defendeu a causa queer.

E em um mundo onde as identidades LGBTQ+ ainda estão sob ataque, ter aliados como Jade é crucial. O estado atual de ódio anti-LGBTQ+ não passou despercebido por ela.

“Acho que quanto mais aprendo sobre ser aliada e o que posso fazer e como devo fazer essas coisas, mais apaixonada fico em usar minha voz e usá-la da maneira certa”, disse Jade ao GAY TIMES enquanto ela cobre nossa edição de honraria 2021.

“Eu sinto que este ano, por algum motivo em particular, não sei por quê, talvez seja porque ficamos mais em ambientes fechados e você é mais confrontado com isso, mas a transfobia no Reino Unido e no mundo é bastante assustadora e bastante alarmante. Eu definitivamente tive, como uma aliada, a mais ínfima experiência daqueles transfóbicos. ”

Jade revela que teve uma “enxurrada imediata” de transfóbicos enviando spam para seu Twitter depois que ela encorajou seus seguidores a ler o livro best-seller de Shon Faye, “The Transgender Issue”.

“Eu estava tipo, porra. Eu obviamente sei que eles estão lá, e eles existem, mas isso foi apenas uma experiência minúscula de como isso é para as pessoas trans”, ela continua. “Eu estava tipo, porra, isso é implacável, tão horrível, que você não consegue nem sugerir algo sem um exército dessas radfem e os transfóbicos saindo da toca e tendo algo a dizer sobre isso.”

“É assustador. É assustador que não haja apoio suficiente para a comunidade trans na política, nas redes sociais, através de certos meios de comunicação, e o que vimos com Dave Chappelle. Uma coisa boa, suponho, é com a mídia social que há um diálogo muito aberto sobre isso, mas sim, é simplesmente horrível.”

Ela acrescenta:

“Às vezes pode parecer um pouco difícil saber exatamente o que você deve fazer para ajudar e combater isso. Então, estou definitivamente tentando o meu melhor para falar mais com [a instituição] Stonewall sobre como posso ajudar e estar lá para meus amigos, para meus amigos trans e encontrar maneiras de apoiá-los durante isso, e pressionar os governos e as pessoas certas a fazerem mudanças. ”

Jade também falou sobre a saída de Jesy Nelson da Little Mix, se isso levou a conversas sobre os caminhos de separação do grupo e suas ambições de carreira solo. Ela contou:

“Eu acho que para qualquer um, quando uma mudança tão grande acontece em sua vida, e você está tão acostumado a uma determinada situação por tanto tempo, é muito difícil. E então superar isso e seguir em frente. Para nós foi assim também, acho que ainda estávamos promovendo o álbum na época e fazendo programas de TV.

Nós estavamos rachadas, por assim dizer, e acho que ficamos um pouco em estado de choque por um longo tempo porque precisávamos continuar. Só depois de tirarmos uma folga no Natal é que percebemos o que tinha acontecido.”

Ela confessou que foi então que as companheiras de banda acharam a notícia “difícil” e falaram com seus próprios terapeutas.

“Foi difícil. Teria sido assim para todos, nós temos umas as outras, temos terapia de grupo, temos nosso próprio terapeuta e você faz o que pode…”

“Estamos realmente mais fortes do que nunca”, ela continuou. “Eu diria que este ano, com as meninas tendo seus filhos, isso apenas coloca tudo em perspectiva do que é importante na vida.”

Jade disse que as meninas restantes sabem que vão se proteger “por qualquer coisa”.

“Nós sabemos que temos umas as outras, não importa o que aconteça.”

Confira todas as fotos e vídeos dos bastidores para o ensaio fotográfico:


Fonte: GAY Times

Tradução e adaptação: Equipe Little Mix Brasil

Salvo em: Noticias
Little Mix Brasil • Hospedado por Flaunt • Layout por Lannie D &