visite a galeria de fotos brasillm.com/gallery

últimas imagens enviadas
24.11.21

Do ‘X Factor’ para o mundo, Little Mix é uma das exportações de música britânica de maior sucesso da última década. Seu repertório de sucessos – entre eles 5 singles número 1 – já dá para fazer uma “coletânea de sucessos”, e ‘Between Us‘ sai hoje acompanhado de 4 novas canções, mas sem uma das integrantes originais da Little Mix, Jesy Nelson, que o no ano passado deixou o grupo para se concentrar em sua saúde mental e em outubro passado lançou o seu primeiro single solo.

JENESAISPOP tem a chance de bater um papo, via Zoom, com o trio Leigh-Anne Pinnock, Perrie Edwards e Jade Thirlwall alguns dias antes do lançamento de ‘Between Us‘. É curioso ver as três em um contexto tão natural e despreocupado, sem as maquiagens e looks espetaculares, sem os figurinos que costumam exibir em videoclipes e tapetes vermelhos. Elas usam moletons e duas delas acabaram de se tornar mães, então, durante a entrevista, choro ocasional de bebês é ouvido ao fundo.

Leigh-Anne, eu assisti o último episódio do RuPaul’s Drag Race UK e você foi convidada como jurada. Como foi a experiência?

Leigh: Adorei. É mais impressionante estar no programa do que assisti-lo de casa, tudo em todos os lugares brilha e deslumbra você. Gostei muito de viver a dublagem labial e poder usar aquele vestido que eu estava usando.

Quem é o designer?

Leigh: Moschino.

Vocês três assistem DragRace?

Perrie: Eu nunca assisti antes. Com a Jade cheguei a assistir alguns episódios quando estávamos em turnê nos Estados Unidos, mas nunca me sentei mesmo para assistir, embora não saiba porque, já que tenho a certeza que adoraria.

Jade: Comecei a ver nos Estados Unidos. Sou obcecada pela versão britânica mas uma das minhas edições favoritas é a americana, aquela que a Bianca del Rio ganhou. Sou super fã.

Você já viu a versão em espanhol?

Jade:  Ainda não. É uma das poucas edições de DragRace que eu não vi, mas eu conheço algumas das rainhas porque as vi nas redes sociais e ouvi coisas muito boas sobre a série. Vou assistir. Está na Netflix?

Acho que não, só pode ser visto em uma plataforma espanhola.

Jade: Seja como for, vou assistir. São tantas edições que é difícil acompanhar.

Seu novo álbum é uma coletânea. Qual é a coisa mais valiosa que vocês aprenderam nesses 10 anos de carreira?

Perrie: Que a nossa amizade é o que temos de mais importante. É a chave. E que é importante trabalhar muito. Trabalhamos muito para chegar onde estamos, o que pode ser muito difícil de conseguir em uma indústria tão difícil como esta. Aprendemos que ninguém se preocupará mais conosco do que nós mesmas. Somos unidas e sempre apoiamos umas as outras.

Vocês se lembram de ouvir coletâneas quando eram pequenas?

Jade: Lembro-me dos CDs do ‘NOW’
Leigh-Anne e Perrie: “Sim !!”
Jade: E eu me lembro que uma das minhas compilações favoritas se chamava ‘Pop Princesses’.
Leigh-Anne e Perrie: Oh meu Deus, sim!!
Jade: Vocês se lembram? Foi uma compilação que reuniu canções de todas as princesas do pop do momento: Sugababes, Avril Lavigne, Kelly Clarkson, Beyoncé, Rihanna, Christina Aguilera… Estavam todas lá. Foi a compilação definitiva de princesas do pop. Eu estava obcecada.
Perrie: Pessoalmente, quando ouço alguns artistas, sempre ouço seus maiores sucessos: os ‘maiores sucessos’ da Céline Dion, os ‘maiores sucessos’ de Shania Twain, os ‘maiores sucessos’ de Britney Spears.
Leigh-Anne: Os ‘Maiores Sucessos’ de Mariah Carey.
Perrie: Mariah Carey eu ouço todas as noites.

25 número 1s de Mariah Carey.

Little Mix: Isso!

As coletâneas de sucessos estão na moda novamente, certo?

Perrie: E para lançar um, você precisa ter uma longa carreira. Não é tão comum uma banda de garotas como nós lançar um álbum de grandes sucessos. Para mim é incrível. É uma forma de saber que você teve sucesso.

Anastacia lançou “os maiores sucessos” quando tinha apenas três álbuns e sua carreira não foi a mesma desde então.

Perrie: Ela é uma das minhas artistas favoritas. Ontem eu estava falando sobre ela.

Jade: Para nós faz sentido lançar uma coletânea de sucessos porque estamos na nossa carreira há 10 anos, lançamos muitos singles.

As novas músicas estão espalhadas por todo o álbum, não estão nem no começo nem no fim. Essa decisão é porque vocês acreditam que elas também são “sucessos”?

Jade: Sim, as cinco canções são poderosas. Sempre nos orgulhamos muito de não colocar  músicas só para completar o álbum e neste caso é o mesmo. Gostamos que as novas músicas sejam misturadas com as antigas do álbum porque todas se encaixam. Queríamos que as pessoas percebessem que no álbum todos os singles têm a mesma importância, e as novas músicas também.”

Qual é o seu critério para gravar músicas? Como vocês preservaram o “som da Little Mix” ao longo do tempo?

Leigh-Anne: Tem que ser uma música que te empodere. Nunca escrevemos uma canção que não te faça sentir bem ou que não te anime. Se conseguir, é uma música da Little Mix. Queremos fazer as pessoas se sentirem bem. E nossas músicas têm que ser fortalecedoras… e também um pouco atrevidas. As novas músicas do álbum têm essa atitude.

Há uma balada que dá o título ao álbum. Quando eu penso em Little Mix, não há muitas das suas baladas que me vêm à mente. Você gostaria de explorar este formato?

Perrie: Nós amamos baladas. Colocamos pelo menos uma ou duas em cada álbum, mas lançamos apenas uma como single, ‘Secret Love Song’. ‘Between Us’ é uma canção de amor para nós, fala da nossa amizade e sabemos que quando a cantarmos ao vivo será difícil cantá-la sem chorar. É uma música que significa muito para nós e os fãs vão adorar. 

Leigh-Anne: E não esqueça do clipe. É precioso!

Sweet Melody foi o seu primeiro número 1 no Reino Unido em 4 anos. Como vocês se sentiram com a notícia? Vocês estão especialmente interessadas nesses tipos de conquistas?

Jade: É importante não perseguir continuamente a ideia de conseguir o número 1. No início da nossa carreira estávamos preocupadas em conseguir o número 1, mas agora acreditamos que se a música continuar a ser ouvida com o tempo, até se não for o número 1, é ainda melhor. O número 1 de ‘Sweet Melody’ significou muito para nós porque aconteceu no momento em que completamos dez anos de carreira. O significado desse número um é o mais importante para nós.

Como vocês experimentaram as mudanças nas tendências musicais nesta década? Sua música as reflete de uma certa maneira: você ouve ‘Wings’ e pensa em 2011, ‘No More Sad Songs’ e é puro pop tropical.

Jade: Little Mix sempre se adaptou aos novos tempos, sem deixar de soar como Little Mix. Esta é uma das razões pelas quais resistimos ao teste do tempo. Porém, quando lançamos os primeiros singles de cada álbum, sempre nos certificamos de que eles não sejam parecidos com o que está tocando nas rádios no momento. É difícil adivinhar o que vai funcionar e o que não vai, e mais ainda encontrar o equilíbrio perfeito entre se adaptar aos tempos e não perder sua essência como artista. Acho que conseguimos.

Como você vê os charts atuais? Quais estilos você acha que predominam?

Leigh-Anne: Não presto muita atenção aos charts, nem mesmo os entendo. Acho que tem de tudo, mas gosto do que gosto e costumo ouvir mais música da velha guarda. Não sou necessariamente uma grande conhecedora das paradas músicais. 

Perrie: Eu também vou por fases. Há dias em que só ouço o que está nas paradas e outros em que só escuto música antiga. Não tenho prestado muita atenção à eles ultimamente.

As tendências variam de país para país. Na Espanha, 90% do que triunfa é reggaeton.

Leigh-Anne: Adoro reggaeton!

Qual música do seu repertório vocês lamentam por não ter sido single?

Todas: Wasabi!

Porque?

Jade: Queríamos que ‘Wasabi’ fosse um dos singles de ‘LM5’, mas, devido a uma série de circunstâncias relacionadas à mudança de gravadora, no final não pôde ser. É realmente lamentável. Na verdade, ‘Wasabi’ tem mais reproduções do que alguns singles daquele álbum e quando tocamos ao vivo as pessoas enlouquecem.

Eu realmente gosto das suas músicas com tema dos anos 60, como ‘Love Me Like You’. Vocês estão  interessadas neste estilo de música?

Perrie: Gostamos de explorar todos os tipos de sons. A coisa boa de estar em uma banda de garotas é que você pode fazer coisas diferentes. Amamos experimentar, especialmente quando fazíamos isso nos primeiros álbuns.

Colaborações com outros artistas também estão incluídas na coletânea, como as de Galantis, Anne-Marie ou CNCO. Vocês acham que eles também fazem parte da história da Little Mix? Vocês não queriam fazer uma compilação apenas de suas músicas?

Jade: Temos muito orgulho de tudo o que fazemos, colaborativo ou não. E ‘Heartbreak Anthem’ hitou e não esperávamos.

Tradução e adaptação: Equipe BrasilLM

Fonte: JNSP

Salvo em: Noticias
Little Mix Brasil • Hospedado por Flaunt • Layout por Lannie D &